Breve Histórico sobre GIBIS - Considerações Gerais

Autor: Afonso - contato: 70anosdegibis@gmail.com 

Os primeiros registros neste módulo ocorreram em 03/2014.

Registre, por favor, seus comentários pelos ícones "Contate-nos" ou "Livro de Visitas".   

...................................................................................................................................................... 

 

Introdução

 

## Bem-vindos aqui todos aqueles que acessarem este site

Demonstram, sem dúvida, um traço de pureza em seu caráter - o que hoje em dia é muito raro - ou seja, admiram algo muito especial: os gibis, algo puro, claro, simples e transparente. 

Vejam estes belos exemplos, ao longo do tempo, de gibis inesquecíveis, alguns deles inicialmente importados e, posteriormente, aqui editados :

       Superman (Action Comics)                              Kid Colt                                Turma do Pererê - de Ziraldo

Efetivamente os Primeiros Tempos           Herói sem TV e sem filmes                     O Brasil marca presença

        

  

     Gibi brasileiro: Quadrinização 
                 do filme "Shane"                                     Luluzinha                                              Lash LaRue
          Um trabalho "artesanal"                               de    Marge                                     (o nosso Don Chicote)
       Desenhos de Flávio Colin
 

     

                         Imagens: - a primeira - www.pinterest.com; - da 2a. à 5a.- Acervo www.70-anos-de-gibis

                                                     A última imagem foi cedida gentilmente por Luis Peix    

        

## Escrever sobre gibis é, de um lado, muito fácil, porque se trata de um assunto simpático, agradável para todos aqueles que com ele se identificam, mas de outro lado torna-se difícil, dada a variedade de publicações e o formidável e gigantesco universo de personagens, autores e desenhistas existente.  

Em minhas pesquisas sobre gibis encontrei um termo que me agradou muito: Gibiteca. Imediatamente o adotei porque ele traduz exatamente o que é meu acervo de gibis. Em primeiro lugar, vamos considerar que o termo "gibiteca", aqui utilizado, é uma forma simples de tratarmos o acervo de gibis, ou seja, uma variação do termo "biblioteca", o qual, sob nossa ótica, não se aplicaria aos produtos aqui tratados.

## Um momento muito importante deste trabalho foi a decisão de organizar fisicamente a gibiteca - decisão essa tomada após intensa análise geral do conteúdo - sem dúvida, uma tarefa com elevado grau de dificuldade, mas, ao mesmo tempo, extremamente gratificante para aqueles que se identificam com esse tipo de publicação. Na organização propriamente dita, estabelece-se um novo contato com publicações que nos são caras, mas que, muitas vezes, ficam esquecidas em um canto qualquer, sem controle e registro. 

O ideal seria que uma biblioteca, ou gibiteca, fosse organizada desde o início da constituição de seu acervo, economizando trabalho. Mas geralmente não é isso que acontece. A necessidade de organização surge apenas quando se constata a dificuldade de localização de exemplares. À medida que passa o tempo, novas aquisições vão sendo realizadas e, se não se colocar determinada ordem nesse material, perde-se o controle, o que pode nos levar até a extravios de exemplares, o que não ocorreria caso o acervo estivesse devidamente catalogado.

Assim, devo reconhecer, após anos de relativa e ineficaz organização, vi-me na contingência de realmente organizar o acervo, procurando identificar, segregar e catalogar todas as publicações existentes, de forma que fosse propiciada e facilitada sua consulta a todos aqueles que venham a manifestar interesse, e que, certamente, serão estimulados a conhecer outros itens desse acervo.

Por ser uma gibiteca que se formou naturalmente ao longo do tempo, praticamente nos últimos 60 anos, com aquisições variadas, decorrentes do simples interesse nas publicações, seu acervo é bastante diversificado. Isto pode torná-la singular, isto é, seu valor passa a ser diretamente proporcional a sua heterogeneidade, pois encerra publicações até certo ponto raras, outras curiosas, mas todas elas com significativo valor, cada uma em seu segmento específico.

É importante, portanto, considerar que essa variada segmentação, com uma forte predominância de gibis editados nas décadas de 1950/60, época áurea dos quadrinhos no Brasil, pelo menos até a metade dos anos 60. Evidentemente, por ser o período em que este "gibitecário" viveu sua infância/adolescência, tornou-se um dos pontos de principal referência para constituição do acervo. 

## Um detalhe importante a ser levado em conta é que sempre houve um certo atraso na publicação de gibis no Brasil, em relação aos USA, atraso este até certo ponto admissível, pois o personagem ou o gibi, em primeiro lugar, deveria se consolidar nos USA, onde a grande maioria era lançada, para depois, já aceito pelo público, ser lançado em outras terras. Dessa forma, algumas vezes, poderei me referir a um gibi de determinado tempo, referindo-me ao momento mais familiar, isto é, aquele em que ele, ou foi lançado no Brasil, ou aqui alcançou sucesso, mas procurarei evidenciar essa diferença. 

 

Até porque nasci em 1949 e comecei a ler meus primeiros gibis por volta de 1955/56, não tive contato, à época, com gibis das décadas anteriores, a não ser - posteriormente - por acesso a sites que os exibem, e por contatos com colecionadores que possuem essas verdadeiras preciosidades. 

 

Abordagem:

 

## Existe um livro à venda nas boas livrarias do Brasil, o qual faço questão de indicar aos internautas interessados na rica história de nossos gibis, que contém informações incríveis acerca de gibis e todas as publicações que poderiam assim ser classificadas, com uma riqueza enorme de detalhes, além de comentários muito bem estruturados, enfim, um colossal arcabouço de informações do que se produziu até hoje, conteúdo este que nos impressiona. As informações nele contidas são, sem exagero, um verdadeiro tesouro. Vale a pena consultá-lo. 

Eis o título do livro

- Enciclopédia dos Quadrinhos - da L&PM Editores, organizada por Fernando Goida/André Kleinert. 

Da mesma forma, com o objetivo de propiciar fontes de informações aos internautas, indico um belíssimo site da internet, que contém, igualmente, uma quantidade considerável de informações sobre quadrinhos, de muito boa qualidade. 

Eis o endereço do site

- http://www.wikiwand.com/pt/Hist%C3%B3ria_em_quadrinhos_no_Brasil

 

Em respeito aos autores da enciclopédia e do site citados, não os tenho considerado como norteadores das informações aqui contidas, até para não dar a impressão de que eu poderia estar copiando informações por eles disponibilizadas, posto que tenho minhas próprias anotações e observações feitas ao longo de um largo período. Eu os cito tão somente para possibilitar novas fontes de informações aos internautas.

Dessa forma, preferi focar minhas abordagens dentro exclusivamente de minha ótica e, preferencialmente em edições da década de 1950 em diante, e naquelas publicações que me são familiares, o que não significa que não serão tratados aqui edições anteriores a essa época e aquilo que seja objeto da abordagem da enciclopédia ou do site citados. Isto será feito sempre que oportuno, mesmo porque a abordagem acaba sendo coincidente em vários pontos, uma vez que a base histórica é a mesma.

## Os internautas vão observar que, sempre que posso, repito nos diversos textos, os nomes dos grandes heróis de nossos antigos gibis, por duas razões muito simples: em primeiro lugar, como forma de fixar seus nomes dentro dos períodos específicos que segmentei neste site e, em segundo lugar, como uma espécie de homenagem a esses caros personagens do passado (alguns ainda presentes em edições atuais).

## Para uma melhor compreensão da verdadeira dimensão alcançada ao longo do tempo pelos quadrinhos, e para valorização de suas diferentes fases, é importante avaliarmos alguns aspectos, remetendo-os às respectivas épocas de sua ocorrência, de forma que possam ser melhor entendidos, posto que a variável temporal é determinante para o assunto. Não teria sentido, por exemplo, o uso do papel largamente utilizado nos gibis da década de 1960, nas publicações recentes, já no século XXI. Os novos leitores o rejeitariam, é claro, mas para quem viveu aquela época, esse papel é perfeitamente aceitável.

## Um outro momento dos mais importantes deste trabalho que aqui apresento foi (e tem sido) a transposição para o site, de informações registradas, da forma mais didática possível, guardando clara relação com as imagens inseridas, e mantendo plena fidelidade aos fatos ocorridos ao longo do tempo, os quais tive a felicidade de acompanhar desde a metade da década de 1950 - portanto há aproximadamente 60 anos - quando de meus primeiros contatos com os gibis, alguns dos quais preservo comigo até hoje e pelos quais tenho grande estima.

## Enfim, todo o conteúdo deste site, as observações e referências temporais, inclusive opiniões e comentários de toda espécie, são de minha autoria pessoal afonso - baseando-me em tudo aquilo que vivi em relação aos gibis, à época já mencionada e ao longo dos anos seguintes, bem como no acervo de publicações que possuo. Somente farei inserção de fotos, gravuras ou desenhos obtidos na internet quando for absolutamente necessário e com o objetivo de ilustrar as matérias, mesmo assim, procurarei informar a fonte da ilustração, uma vez que, nesses casos, ela não será meu acervo pessoal. Uma parcela significativa das imagens publicadas, no entanto, tem origem em meu acervo pessoal, digitalizadas especialmente para este site. 

Espero, sinceramente, estar dando oportunidade a outros para conhecerem melhor esse monumental universo dos gibis, e contribuindo para a disseminação do conhecimento sobre quadrinhos e gibis de uma forma geral, preservando sua memória através de todos os registros que me forem possíveis fazer, uma vez que os tenho em alta conta e estou convicto de que só teremos preservada sua memória se fizermos uma ampla divulgação, permitindo que, a cada momento, mais e mais pessoas penetrem nesse universo muito especial. 

## Diferentemente de como alguns vêem os gibis, penso que sua leitura pelos pequenos leitores que ainda estão sendo alfabetizados, só trará benefícios as suas mentes. Afirmo, sem qualquer temor de erro, que foi graças a eles - maravilhosos e inesquecíveis gibis - que consegui abrir horizontes, expandir meus interesses e adquirir relativo conhecimento sobre os mais diversos assuntos e, principalmente, consolidar meus hábitos de leitura sobre incontáveis temas. E ainda quero aprender muito.

Muitos não compreendem bem a simpatia e verdadeira paixão que temos (eu e milhares de outros colecionadores), pelos chamados gibis. É quase impossível explicar. Mas nós sabemos muito bem o que é esse sentimento.

 
                                         Dois dos primeiros gibis que adquiri na década de 1950: 
 
                                        O Herói - c/ Kit Carson              e                 c/ Durango Kid

                                       

                                                                    Acervo: www.70-anos-de-gibis

Enfim, agradeço, sinceramente, à receptividade que derem a este conteúdo, mesmo que ele possa provocar o levantamento de alguma dúvida ou questionamento de qualquer natureza. Isto é perfeitamente natural  e, sem dúvida, enriquecerá ainda mais este material. 

 

            .............................................................................///////////////////////////////////////...................................................................................

 

HOMENAGEM DESTE SITE : Eu gostaria de fazer, no momento em que encerro este 1º capítulo do histórico dos gibis, uma homenagem a todos os desenhistas de quadrinhos, pelos quais tenho enorme respeito e crescente admiração, registrando um trecho do que foi escrito pelo saudoso e inesquecível Joe Kubert e publicado na primorosa edição de Tarzan da Devir Livraria - revivendo antigos gibis - que, de alguma forma, transmite o sentimento de todos nós, que verdadeiramente admiramos os quadrinhos: 

"Minha primeira experiência com Tarzan foi lendo e vendo suas aventuras no jornal de domingo. Eu esperava ansiosamente por essas edições dominicais, porque era quando eu podia espalhar a seção de quadrinhos do New York Mirror pelo chão, e, durante algum tempo, desaparecer. Minha mãe podia me chamar (para levar o lixo para fora ou alguma outra tarefa mundana), mas eu não ouvia sequer uma palavra. Eu não estava ali. Eu estava junto com meu herói. Meu amigo. No meio da selva africana. E eu não tinha medo, porque estava ao lado dele." - 

Joe Kubert - Dover, Nova Jersey, novembro de 2005. 

 
                                       

                                           www.pinterest.com

 

(Nota do autor deste siteJoe Kubert faleceu em 12/08/2012).          

                                 
                                               Joe Kubert: compactação de seus gibis - Tarzan - da obra de
                                                                            Edgar Rice Burroughs
 
                       Volume I                                              Volume II                                          Volume III
    TARZAN - Devir Livraria - nº 2 - 2011 - Desenhos de Joe Kubert      
                                                           Os três gibis: acervo www.70-anos-de-gibis
 
 
 :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::///////////////////////////////////////:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 
 
- FIM DO MÓDULO
 
- CONTINUA no módulo "Breve Histórico sobre GIBIS - Primeiros Tempos até Década de 1930"
 

Não deixem de acessar os módulos seguintes: 

Primeiros Tempos até Década de 1930; Década de 1940; Década de 1950; Década de 1960; Décadas de 1970; Década de 1980 e posteriores.

 

                ..............................................................////////////////////////////...............................................................