Curiosidades sobre GIBIS 

Autor: Afonso - contato: 70anosdegibis@gmail.com

Registre, por favor, seus comentários pelos ícones "Contate-nos" ou "Livro de Visitas".    

...................................................................................................................................................................................................

Importante: Este site não tem qualquer objetivo comercial, não tem resultado econômico-financeiro e visa apenas a DIVULGAÇÃO e a PRESERVAÇÃO da memória dos gibis. As fotos e ilustrações aqui publicadas são de domínio público, com farta publicação na internet; muitas foram por mim produzidas com base no acervo que possuo.

...................................................................................................................................................................................................

Introdução:

Há inúmeras histórias bastante curiosas e situações interessantes quanto a gibis, suas editorações e mesmo sobre os inúmeros personagens ao longo do tempo. Ao mesmo tempo existem autores, desenhistas e personagens que alcançaram grande projeção e destaque não só em seus países de origem, mas em todo o mundo. 

Procurarei registrar aqui, neste módulo "Curiosidades sobre os Gibis", detalhes pouco divulgados, aspectos desconhecidos, situações curiosas e inusitadas, grandes destaques - tanto aplicáveis aos autores, desenhistas, editoras e personagens, quanto aos próprios gibis - curiosidades estas que poderão ser enriquecidas com observações feitas por todos aqueles internautas que se interessarem em enviá-las, utilizando a mensagem disponibilizada no "Contate-nos" do menu. 

Você poderá, também, utilizar o "Livro de Visitas", fazendo registro neste site sobre qualquer detalhe que considere importante, inclusive formulando perguntas, questionando algum registro ou dando sugestões. 

Os textos são todos de minha autoria e poderão ser reproduzidos, bastando uma simples consulta prévia para autorização caso a caso, via o e-mail: 70anosdegibis@gmail.com  e, quando divulgados, deverá ser citada a fonte - http://70-anos-de-gibis.webnode.com

Obrigado, afonso - 05/2014

 
                Franklin - de "A Turma de Charlie Brown" de Charles M. Shulz,
                                      um de meus personagens preferidos
                                            
  Figurinha do Álbum "Snoopy e seus Amigos" - 2006 - Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
............................................................................................................................................................................................

TEMAS ABORDADOS NESTE MÓDULO: 

1 - GIBI - O Termo 

2 - AIZEN x MARINHO e CHATEAUBRIAND - Uma competição benéfica para os quadrinhos 

3 - GRANDES EDITORAS NO BRASIL - Décadas de 1930 a 1960 

4 - EDITORA EDITORMEX (Ediex) - Um projeto audacioso

5 - AS CRIANÇAS E OS QUADRINHOS - Uma sadia convivência

6 - Bonelli & Galleppini, e TEX - Grande, fabuloso, monumental TEX!

7 - Fred Harman & Stephen Slesinger, e RED RYDER - O Cavaleiro Vermelho

8 - Walt Disney e DONALD - O pato mais querido do mundo

9 - Carl Barks e TIO PATINHAS - Avarento e simpático personagem 

10 - Chester Gould e DICK TRACY - Valoroso defensor da lei e da ordem 

11 - Hergé e TINTIM Um repórter aventureiro, com o espírito investigativo de um detetive

12 - Jerry Siegel & Joe Shuster, e SUPER-HOMEM (SUPERMAN) - O maior dos super-heróis

13 - SUPERGIRL e SUPERBOY - A super-juventude

14 - Hal Foster - O PRÍNCIPE VALENTE  ///  TARZAN Gênio dos quadrinhos

15 - Lee Falk - Phil Davis - Fred Frederick - Ray Moore - Wilson McCoy - Sy Barry - Gutemberg Monteiro - Walmir Amaral - André Le Blanc - Juarez Odilon - Evaldo Oliveira - Milton Sardella - Júlio Shimamoto - em MANDRAKE / O FANTASMA - Constelação de gênios dos quadrinhos

16 - Joe Kubert e SARGENTO ROCK / TARZAN - Um desenhista além de seu tempo

17 - José Luis Salinas e CISCO KID - Impressionantes e maravilhosas ilustrações

18 - Alex Raymond - FLASH GORDON / JIM DAS SELVAS / X-9 / NICK HOLMES - Gênio pioneiro dos quadrinhos 

19 - Hanna-Barbera (de TOM & JERRY) e a inesquecível "Corrida Maluca"

20 - RIN TIN TIN - Um cão conquista o cinema

21 - LASSIE - A maravilhosa Collie que atuou com Elizabeth Taylor

22 - CURIOSAS PROPAGANDAS DA "EBAL" NOS ANOS 1950 - Apenas uma boa lembrança

23 - EDIEX - Superaventuras nº 1 - A Ediex chega ao Brasil

24 - GALERIA DE LEITORES EDIEX - Imagens que resistem ao tempo 

25 - Ayres, o anônimo desenhista de Brasília e seu gibi artesanal "MEU GIBI" - O Grande Ayres 

26 - Jean Giraud e FORT NAVAJO (TENENTE BLUEBERRY) - Um gênio belga dos quadrinhos no Velho Oeste

27 - Uderzo & Goscinny, e HUMPÁ-PÁ, ou OMPA-PA, ou UMPA-PÁ, e também conhecido por UMPAH-PAH - Os belgas invadiram o Velho Oeste

28 - CAPAS DOS Nºs. 05 - EDIEX - Superaventuras - Foto Aventuras e Antar - MARÇO/1961 - Capas estranhas

29 - Morris, criador de LUCKY LUKE e um "CARTOON" muito interessante para TEX - Maravilhosos personagens e maravilhosos ilustradores

30 - Ziraldo, o incrível brasileiro, e TARZAN em belíssimo "Cartoon" - O Brasil bem representado

31 - TEX  -  UM "CLUBE" PARA "TEX" EM PORTUGAL - Tex em nosso querido Portugal

32 - Al Plastino, o SUPER-HOMEM (SUPERMAN) e o PRESIDENTE KENNEDY - Afinal quem é o Superman?

33 - GÊNIOS DA "BANDA DESENHADA" FRANCO-BELGA e o VELHO OESTE AMERICANO - Ousadas, incríveis e bem sucedidas incursões européias pelo Velho Oeste americano

34 - Jijé e JERRY SPRING - Um inesquecível personagem do Velho Oeste, mas "nascido" na Bélgica 

35 - WINNETOU - A BELA PAISAGEM DA CROÁCIA, LOCAÇÃO DOS FILMES DA SÉRIE WINNETOU - Imagens do Paraíso

36 - O GIBI "CINEMIN" - O que de melhor havia sobre cinema

37 - KING KONG - Um gorila sempre solicitado pelo cinema

38 - Mort Walker e o RECRUTA ZERO (Beetle Bailey) - O "valoroso" recruta do exército americano

39 - Russ Manning (grande desenhista de Tarzan) e os belos gibis "WESTERN ROUNDUP" - Impressionantes obras de arte

40 - Carl Barks - Um gênio por trás de Walt Disney 

41 - AS REVISTINHAS "SESINHO" - Década de 1950, e "NOSSO AMIGUINHO" - Década de 1980 - Muito parecidas com um gibi 

42 - Berardi & Milazzo, e KEN PARKER - Uma obra-prima 

43 - O ATOR "STEVE REEVES" E OS GIBIS DA "EDIEX" - Uma parceria vencedora 

44 - Charles Schulz e a "Turma do CHARLIE BROWN" - Belíssima matéria de autoria de Paulo Pestana - Brasília 

45 - Fred Harman e as belas capas de "RED RYDER" - O Cavaleiro Vermelho em ação 

46 - GÊNIOS DA PINTURA e IMAGENS DO VELHO OESTE AMERICANO REPRODUZIDAS EM QUADRINHOS - O Velho Oeste inspirando ilustrações 

47 - Jigé em notável matéria datada de 11 JUL 2014, oriunda de PORTUGAL, publicada no site: https://ogatoalfarrabista.wordpress.com - AS CAVALGADAS DE JERRY E PANCHO NO "MUNDO DE AVENTURAS" - Jerry Spring em Portugal 

48 - RANDOLPH SCOTT NAS PÁGINAS DOS GIBIS DA "EDIEX" - Quatro grandes momentos 

49 - MISTERIX - Um pequeno gibi semanal argentino da década de 1950 

50 - BLUEBERRY - Encontrei na internet, e gostaria de compartilhar com os internautas, um rico material em: - http://blueberrybr.blogspot.com.br/  -   com publicações sobre Jean Giraud, Jean Michel Charlier e o "Tenente Blueberry" - Um magnífico trabalho. 

51 - DURANGO KID ou LASH LaRUE (Don Chicote)? - As editoras às vezes nos enganavam 

52 - OS VINGADORES - No filme "Capitão América: Guerra Civil" - de um lado o Capitão América, de outro o Homem de Ferro - Vamos aguardar o que nos trarão os gibis 

53 - DINHEIRO CUSTA DINHEIRO - Um simpático "gibizinho" institucional do Banco Central do Brasil 

54 - A VERDADEIRA HISTÓRIA DO VELHO OESTE - Uma publicação realmente "superinteressante" 

55 - Russ Manning - Um dos maiores desenhistas de TARZAN - Imagens que impressionam 

56 - Milton Caniff e seus incríveis personagens - Criatividade sem limites 

57 - Will Eisner - Um gênio à frente de seu tempo

58 - John Buscema e os maravilhosos desenhos das 34 páginas do gibi "HELEN OF TROY", da Dell - USA - Um dos mais belos momentos da história do gibi

 

..........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

 

1 - GIBI  -  O Termo

Historicamente, consta que a palavra GIBI surgiu no Brasil em 1939, quando Roberto Marinho (1904 - 2003), da futura poderosa "Organizações Globo", lançou uma revista intitulada GIBI, com o objetivo de competir com a revista lançada dois anos antes, por Adolfo Aizen (1907 - 1991) - da "Ebal" - chamada Mirim. Aizen, como veremos no próximo item, respondeu com O Lobinho. (Leia mais no "Breve Histórico - O Gibi no Brasil"). 

Há muita lenda em torno deste assunto, mesmo porque Assis Chateaubriand (1892 - 1968), o poderoso e influente dono dos Diários Associados, lançou em 1940, O GURY (depois O GURI), portanto, havia uma competição enorme, inclusive em relação aos títulos das revistas (Mirim - Gibi - O Guri). Mas todos sabemos que, nos gibis, a maior competição era entre Aizen e Marinho.

            
                Gibi - de Marinho                   O Lobinho  - de Aizen              O Guri - de Chateaubriand
             /album/galeria-de-fotos/www-70-anos-de-gibis-webnode-com-o-lobinho-jpg/            

            www.universohq.com            revistaogrito.ne10.uol.com.br     http://gurigibi.blogspot.com.br

 

Leiam mais em "Breve Histórico sobre Gibis".

................................................................................................................................................................................................................................................

2 - AIZEN x MARINHO e CHATEAUBRIAND - Uma competição benéfica para os quadrinhos

 
                            Adolfo Aizen                                     Roberto Marinho                     Assis Chateaubriand             
                     
                                    www,onordeste.com               www1.folha.uol.com.br                             brasil.elpais.com

Roberto Marinho havia lançado O Globo Juvenil Mensal em 1937, um dos mais importantes "gibis" daquela época e, rapidamente, Aizen lançou O Lobinho, temeroso de que Marinho viesse a fazer um lançamento possivelmente intitulado O Globinho !!!  Penso que já deveria haver muita espionagem industrial à época. Era, na verdade, uma verdadeira guerra editorial. Interessante que Aizen, algum tempo depois, lançou O Juvenil Mensal, praticamente um título idêntico, o que demonstra claramente como era acirrada a competição entre eles. 

E ainda havia Assis Chateaubriand, dos Diários Associados, outro poderoso empresário da área de comunicações da época, com grande influência política, que atacava com seu "O GURY" (título depois alterado para O GURI), publicado no Diário da Noite.

 
                                      
                                                   Ambos os gibis - Acervo: 70-anos-de-gibis
 

Leiam mais em "Breve Histórico sobre Gibis".

..................................................................................................................................................................................

3 - GRANDES EDITORAS NO BRASIL - Décadas de 1930 a 1960

Remonta ao final dos anos 1930 e à década de 40, o surgimento, no Brasil, das primeiras tentativas de editoração de gibis em maior escala, tanto pelas Organizações Globo (que em 1952 criou a Rio Gráfica e Editora) quanto pela Ebal, além dos Diários Associados de Assis Chateaubriand com o seu "O Guri". 

Aizen se transformaria em um dos maiores investidores brasileiros em quadrinhos, à frente da poderosa Editora Brasil-América Ltda - EBAL, oficialmente surgida em 1946 (sucedendo a sua empresa Grandes Consórcios de Suplementos Nacionais), que publicou, durante anos, inúmeros e inesquecíveis gibis. 

Em julho/1950 surge a Editora Abril, criada por Victor Civita, sucedendo à Editora Primavera criada pouco tempo antes e que teve início, na verdade, na Argentina. O primeiro lançamento no Brasil (ainda como Editora Primavera) foi o gibi Raio Vermelho, de origem italiana, que não fez muito sucesso. Civita lançou, então, o primeiro gibi da Editora Abril: O Pato Donald, com direitos cedidos pela Disney.

           Editora RGE                      Editora Abril                             Ebal 
                       

.................................................................................................................................................................................

 

4 - EDITORA EDITORMEX (Ediex) - Um projeto audacioso

Em 1960, instalou-se no Rio de Janeiro, a Editormex, mais conhecida por Ediex, que utilizava a RGE para composição e impressão dos gibis, cuja distribuição era feita pela Fernando Chinaglia Distribuidora S/A.  

Era uma editora de origem mexicana, que se especializou em publicações de filmes em fotos preto e branco, e que alcançou expressivo sucesso no país, em decorrência do momento em que surgiu. Sua fórmula baseava-se nas revistas já publicadas na França, da série "cinè aventures", cujos direitos para o Brasil (e também para os países hispânicos da América Central e do Sul, além do próprio México) foram por ela adquiridos, sendo a grande maioria dos exemplares com a mesma capa publicada na França.  

Inicialmente foram lançados os gibis Superaventuras, Foto Aventuras e Antar, seguidos de outros. Ocorre que, naquele momento, a televisão ainda era muito incipiente no Brasil e a publicação dos filmes veio suprir uma carência nesse sentido, porque os filmes eram pouco divulgados na televisão e demoravam muito a serem reapresentados nos cinemas, mesmo sendo alguns deles clássicos e de grande sucesso. Curioso, mas os gibis da Ediex funcionavam como se fossem o nosso DVD ou Blu-ray de hoje, ou seja, era a única forma de se rever, quando quisesse, determinado filme. Nem mesmo existiam as hoje já ultrapassadas fitas VHS, portanto, é possível entender a importância desses gibis naquela época, há 55 anos. 

Assim, em homenagem a essa valente editora, que atuou no país numa época de grande instabilidade política e de dificuldades econômicas, enfrentando elevada inflação, juros altíssimos, maquinário obsoleto e matéria prima de qualidade inferior, faço aqui a inserção da capa de um exemplar do gibi Superaventuras nº 48 - de 1964. 

Mesmo já tendo publicado neste site uma grande quantidade de capas da Ediex, sempre interessantes, incluo esta, abaixo, por se referir a um grande filme e dar uma clara idéia do que eram os gibis da Ediex. Trata-se de "Os Canhões de Navarone", um dos mais cultuados filmes de guerra de todos os tempos, estrelado por Gregory Peck, Anthony Quinn e David Niven. Publico, também, a capa do gibi original editado na França.

Leiam mais neste site, sobre a Ediex, neste próprio módulo nos itens 23, 24, 28, 43 e 48, e também nos módulos "Produtos - Acervo", "Breve Histórico - O Gibi no Brasil" e "Contribuições dos Internautas".

 
                             O belo gibi da Ediex                          O gibi editado na França - idêntico                                    

    

                                

                                            Ambos os gibis: Acervo - www.70-anos-de-gibis  

                                                     

                     Abaixo,os poderosos canhões                                      Arte - Cartaz Promocional

   

                                       www.canonice.skyrock.com      http://newsandviewsbychrisbarat.blogspot.com.br      

 

                                            Abaixo, a logo de um dos principais gibis da Ediex: Antar

                                                 

                                                                                      gibibox.blogspot.com.br              

...............................................................................................................................................................................

 

5 - AS CRIANÇAS E OS QUADRINHOS - Uma sadia convivência

No passado costumava-se afirmar que os quadrinhos seriam prejudiciais à formação de nossas crianças, no entanto, essa ideia foi definitivamente sepultada com a constatação por educadores, dos benefícios que os quadrinhos trazem à crianças, na visualização e no entendimento de histórias ilustradas, as quais - comprovadamente - contribuem para a ampliação de seu conhecimento, além de se constituirem em reconhecido estímulo a sua criatividade. 

Prova disso é que ao longo do tempo os quadrinhos invadiram os primeiros livros da meninada, numa clara tentativa de se acelerar o entendimento e a compreensão das situações, com o eficaz recurso dos quadrinhos, muitas vezes, valendo-se de personagens conhecidos.

Cabe aos pais, evidentemente, orientar seus filhos em relação aos personagens, evidenciando a figura da "ficção", para que se desenvolvam conscientes do que é ficção e o que é realidade.  

                                              Vejam abaixo vários pequenos heróis que povoam o universo das crianças
                                  
                                          Miudinho                                    Riquinho  e  Brasinha                          Gasparzinho
                
                           Tio Patinhas                              Mickey e Pluto             O  Pato Donald, Huguinho, Zezinho e Luizinho
                                                                                             www.legal.adv.br/
 
                                   Abaixo, "Snoopy and Friends". Para mim, será sempre a "Turma do Charlie Brown" !!!
                                                 
                                                                                                     http://au.movieposter.com/                                               

...............................................................................................................................................................................

 

6 - Bonelli & Galleppini, e TEX - Grande, fabuloso, monumental TEX!

O herói TEX (Tex Willer), criado por Giovanni Luigi Bonelli e Aurelio Galleppini, é procedente da Itália e, curiosamente, não foi publicado nos USA, berço dos verdadeiros cowboys, apesar de ser hoje publicado, e lido por legiões de admiradores, em inúmeros países. Tex é um gibi de grande aceitação no Brasil e foi lançado inicialmente em 1948 na Itália, tendo sido objeto de inúmeras coleções em diferentes formatos - inclusive a cores - por editoras diferentes, transformando-se em um gibi de grande e incontestável sucesso. 

Particularmente, sou um admirador de Tex. Comecei a colecionar gibis quando tinha apenas 7 anos de idade, isto em 1956. Meus primeiros heróis do Velho Oeste foram Durango Kid, Hopalong Cassidy, Kit Carson e o Cavaleiro Vermelho (Red Ryder), mas ao longo do tempo, incorporei Tex a esta pequena lista de meus mais importantes heróis. Curiosamente, Bonelli agregou o grande Kit Carson ao grupo de Tex, transformando-o, na verdade, em seu inseparável amigo de aventuras. 

Realmente Bonelli (além dos vários e incríveis desenhistas responsáveis pelo gibi, desde Galleppini), conseguiu projetar em seu personagem toda a "magia" do Velho Oeste, fazendo com que Tex seja editado e lido hoje em vários idiomas, em inúmeros países, a cores ou em preto e branco e em formatos os mais diversos.

Temos que admitir a feliz incursão dos italianos, tanto nos quadrinhos, principalmente com Tex - sem nos esquecermos de Gino D'Antonio, com sua "Storia del West / História do Oeste" -  quanto no cinema, notadamente pelas mãos de Sergio Leone, dando uma nova roupagem aos faroestes, fazendo sucesso no mundo todo e obrigando os próprios americanos a reconsiderarem sua visão do Velho Oeste. Da Itália, ainda temos Ken Parker, o carismático e vigoroso herói dos quadrinhos criado por Berardi e Milazzo, com base no Jeremiah Johnson, vivido por Robert Redford no filme de mesmo título, e que se chamou no Brasil: "Mais Forte que a Vingança".

Enfim, Tex poderia hoje, com os inúmeros heróis interplanetários que temos, ser considerado um gibi fora de sua época, anacrônico, e seguramente não é.  É, sim, um dos poucos heróis sobreviventes como Tarzan e O Fantasma, que vêm das já longínquas décadas de 1930, 40 e 50, mas que por sua qualidade e incrível capacidade de adaptação aos novos tempos, permanecem conosco, maravilhando as novas gerações. 

Tex, portanto, e em última análise, é um sobrevivente num universo povoado por super-mega-ultra heróis e que, graças ao seu aguçado senso de justiça e suas características de honestidade, honradez, determinação e coragem ocupou e continua ocupando um espaço importante nos quadrinhos brasileiros, hoje editado pela Mithos Editora.

Leiam mais sobre Tex nos diversos gibis publicados no módulo "Produtos - Acervo", e em "Breve Histórico sobre Gibis", neste site. Vejam, também, neste módulo - item 31 -  matéria sobre o Clube Tex Portugal, uma iniciativa elogiável de nossos irmãos portugueses na promoção e divulgação do herói, possivelmente a mais importante atualmente fora da Itália, berço de Tex

Repito: Grande, fabuloso, monumental Tex!

 

       Um dos gibis TEX - Brasil            Uma cena cinematográfica -  desenho de Aurelio Galleppini
            O Ídolo de Cristal
                  
    Acervo: www.70-anos-de-gibis                                                                      www.texwiller.ch
 
                 Uma bela e impressionante página de TEX, editado na Itália em 2013 - color TEX nº 4 
              No Brasil - TEX - Edição Especial Colorida - Nº 4 - abril 2015 - Desenhos de Genzianella 
                                
                                                                                                       www.texwillerblog.com
                                
                                    Aqui, um Tex mais sombrio, na arte de Giovanni Romanini
                            
                                                                                                www.texwillerblog.com
 
............................................................................................................................................................................................................................
 

7 - Fred Harman & Stephen Slesinger, e RED RYDER - O Cavaleiro Vermelho

Criação de FRED HARMAN ( 1902 - 1982) e STEPHEN SLESINGER  - O herói RED RYDER (Cavaleiro Vermelho), foi um personagem de grande sucesso nas décadas de 1940 a 60, no Brasil. Estrelava famoso seriado que normalmente era exibido nas matinês de domingo, levando legiões de fãs aos cinemas. Aqui surgiu também com outros nomes nos gibis: Bronco Peeler - ou Bronco Piler (Rio Gráfica) - e, posteriormente, Nevada (Ebal)

Na verdade, RED RYDER surgiu nos USA em 1934, do Bronc Peeller idealizado por STEPHEN SLESINGER (este, também criador de O Rei da Polícia Montada), cujos maravilhosos desenhos eram de FRED HARMAN. Há, seguramente, uma certa confusão entre os personagens e autores, muito difícil de ser devidamente dirimida. A literatura a respeito é confusa e em determinado momento credita a autoria a um deles, em outro momento, ao outro, confusão essa reforçada pelas inúmeras denominações do personagem.  

Particularmente tenho grandes lembranças do seriado "O Cavaleiro Vermelho" no cinema, que passava todos os domingos após a "matineé". Muitos de nós preferíamos o seriado do que o filme que o antecedia. Vários atores viveram nas telas o personagem Red Ryder. Podemos citar: Don "Red" Barry e Wild Bill Elliott no cinema nos anos 1940; Jim Bannon num piloto para a TV em 1954; Allan Lane (o famosíssimo Rocky Lane, ele mesmo!) na série de TV em 1956.

Mas qualquer que seja o nome, Red Ryder, Bronco Peeler, Bronco Piler ou Nevada, aqui no Brasil fizeram muito sucesso e, quase sempre apareciam acompanhados do simpático indiozinho Castorzinho ou Pequeno Castor - Little Beaver. Vale registrar que Robert Blake desempenhou o papel do inesquecível Cartorzinho, com Wild Bill Elliott, e mais tarde, já adulto, ele foi o detetive Baretta da série de TV, também de muito sucesso. No filme "As Aventuras de Red Ryder", de 1940, com Don "Red" Barry, Castorzinho foi interpretado por Tommy Cook.

Leiam mais, neste site, em "Produtos - Acervo" e "Breve Histórico sobre Gibis", além de outra matéria neste módulo - item 45. Vejam outras fotos no módulo "Galeria de Fotos".

  Nevada - O Cavaleiro Vermelho,
     como o conhecemos no Brasil        e      Bronco Piler                            Bela pintura de Fred Harman Jr
 
        
                  Os dois gibis :Acervo - www.70-anos-de-gibis                                                       pagosasprings.com
              
                                                                              
                                                                     Red Ryder and Little Beaver
                        Don "Red" Barry e Tommy Cook                         Wild Bill Elliott e Robert Blake
                                                                       
                    
                                                   westofriver.blogspot.com.br                  https://stevesomething.wordpress.com      
 
 
                     Vejam Allan "Rocky" Lane como Red Ryder                E aqui, Jim Bannon
 
                                         
                                                        www.pinterest.com                      www.westernclippings.com 
 
                                                             Abaixo, o grande Fred Harman
                                               
                                                                                       blogs.denverpost.com
 
 
 
........................................................................................................................................................................................................................
 

8 - Walt Disney e DONALD - O pato mais querido do mundo

O PATO DONALD, um dos responsáveis diretos pela consolidação da Disney, e possivelmente o maior sucesso editorial na história do gibi, foi lançado no Brasil, pela Editora Abril, em 1950. O personagem idealizado por Walt Disney tomou conta do mundo e, sem dúvida, é um dos personagens de quadrinhos mais conhecidos. 

De tão popular, dispensa maiores comentários, mas registre-se que, talvez o grande sucesso de Donald seja o fato de que ele é mostrado como alguém normal, com seus defeitos, seus sonhos e frustrações, aborrecimentos e irritações e, acima de tudo, um enorme poder de superação. 

Dentro desse enfoque, Donald é cada um de nós, com nossas alegrias, nossas decepções, ganhos e perdas, sucessos e derrotas, às vezes irados, desiludidos, quase derrotados, mas sempre indo em frente. 

Leiam mais em "Produtos Acervo" e "Breve Histórico sobre Gibis".

                          O Pato Donald - Ed. Abril  -  1950                  Donald e sobrinhos   
                                                    
                            Acervo: www.70-anos-de-gibis                          www.pinterest.com                 
 

9 - Carl Barks e TIO PATINHAS - Avarento e simpático personagem

Sem dúvida, o pato mais rico do mundo. Foi criado pelo famosíssimo ilustrador americano Carl Barks (1901 - 2000), para Walt Disney, com o nome de Uncle Scrooge McDuck, baseando-se em um modelo tirado da literatura, qual seja: Ebenezer Scrooge, pão-duro de A Canção de Natal, de Charles Dickens (fonte - a própria história da Disney). 

Tio Patinhas, em suas histórias, está sempre envolvido em um negócio qualquer, ou viajando pelo mundo conferindo suas propriedades e suas riquezas, normalmente acompanhado de seu sobrinho Donald e dos "três sobrinhos do sobrinho": Huguinho, Luizinho e Zezinho

Ao longo do tempo, Tio Patinhas já foi acusado de dar máu exemplo à criançada, por sua ambição e sua avareza, no entanto, é um velho muito simpático e seus pequenos leitores acabam por concluir que tudo não passa de ficção. Enfim, sobre Tio Patinhas há uma lenda que diz: "Ele é capaz de vender gelo no Polo Norte". E nós, seus admiradores, sabemos que isto é verdade. 

Leiam mais sobre Tio Patinhas em "Produtos - Acervo", e sobre Carl Barks, no item 40 deste segmento, neste site.

 

                     Um belo exemplar de Tio Patinhas         Abaixo, Tio Patinhas divertindo-se em sua caixa-forte

                                
                         Acervo-www.70-anos-de-gibis                                                                          www.anos80.net
.............................................................................................................................................................................................................................

 

10 - Chester Gould e DICK TRACY - Valoroso defensor da lei e da ordem

Policial que luta contra gângsteres e crime organizado, foi criado pelo cartunista americano Chester Gould (1900 - 1985) em 1931. Em 1945 produziu-se o primeiro filme com Dick Tracy, com novas versões em 1946 e 47. Foi refilmado em 1990, com Warren Beatty no papel-título (fonte - Folha de SP 01/05/1995). 

A cantora Madonna, nessa refilmagem de 1990, interpretou Breathless Mahoney, conferindo-lhe muita personalidade. 

Leiam mais sobre DICK TRACY em "Cartazes, Fotos, Informações ...", neste site. 

 
       Dick Tracy, o herói de Chester Gould                            O criador - Chester Gould
 
                        
           Acervo: www.70-anos-de-gibis                                           www.dailycartoonist.com
               

...............................................................................................................................................................................

 

11 - Hergé e TINTIM - Um repórter aventureiro, com o espírito investigativo de um detetive

Um gibi geralmente apresentado em cuidadas e belas edições, muitas delas de capa dura, com humor considerado fino, criação e desenhos do belga Hergé - Georges Prosper Remi (1907 - 1983).

A criação de TINTIM remonta à década de 1920, mais precisamente em 1929, motivo para que lhe seja creditado um mérito ainda maior, ou seja, TINTIM é uma espécie de pioneiro, de desbravador. Seu humor é sutil, ancorado em deslizes de um e de outro personagem, de forma sempre hilária. É muito agradável de se ler. Sua inteligência, sua capacidade dedutiva e seu viés investigativo o elevam a níveis "sherloquianos", sem dúvida. 

Quando Hergé escreveu os primeiros números de TINTIM, efetivamente o fez com o espírito do colonialista (basta ler "TINTIM no Congo" para se concluir sobre isso). O Congo era conhecido por "Congo Belga", uma possessão africana da Bélgica, e talvez, inconscientemente, Hergé transferiu para a história, a visão do país colonialista sobre o povo que dominava. Lida hoje, a história nos parece "não aderente ao politicamente correto", em particular sobre o tratamento dado aos animais. Mas é preciso colocar tudo no seu devido tempo. Naquela época, há 85 anos, os costumes e o que se considerava "certo ou errado" eram bem diferentes dos dias atuais, sem dúvida alguma. 

TINTIM transformou-se, por suas reconhecidas qualidades gráficas e de texto, em referência ao longo do tempo e se tornou extremamente querido por seus incontáveis leitores, talvez os mais fiéis que se conheça.

Enfim, TINTIM vive momentos emocionantes pelo mundo todo, sempre desvendando intrincados mistérios, fundo para suas grandes aventuras. 

Leiam mais sobre TINTIM e sobre Hergé nos inúmeros gibis publicados em "Produtos - Acervo" e em "Breve Histórico sobre Gibis", deste site.

 

                                                   Tintim - criação de Hergé - com seu fiel Milu (Milou)
                            caminhando (e correndo) resolutos, certamente para a solução de mais um caso.
             
                                                www.publico.pt                                                   https://maroma.wordpress.com
 
............................................................................................................................................................................... 

 

12 - Jerry Siegel & Joe Shuster, e SUPER-HOMEM (SUPERMAN) - O maior dos super-heróis

Criado por Jerry Siegel (americano, 1914 - 1996) & Joe Shuster (canadense, 1914 - 1992), SUPERMAN foi a base para o crescimento da Editora DC. Superman surgiu num momento crucial para o mundo, o início do conflito mundial, encontrando a população ávida por heróis que viessem em seu socorro. 

Partindo do conceito de que a situação mundial era tão crítica que não havia quem pudesse solucioná-la, o recurso encontrado por seus criadores foi buscar um ser amigável, de outro planeta, dotado de super-poderes que viria, em tese, salvar a humanidade. 

Vejam definição sobre o Superman publicada em jornal de São Paulo:

"SUPERMAN incorpora o mito do super-herói e, na verdade, consegue se impor como o maior dos super-heróis" 

(Folha de SP 01/05/1995).

Leiam mais sobre Superman nos diversos gibis publicados neste site em "Produtos - Acervo" e no "Breve Histórico sobre Gibis". Há, ainda, interessante matéria no item 32 deste módulo "Curiosidades sobre Gibis".

 

        Um exemplar de Superman                           Os criadores - Siegel & Shuster
                 Ebal - Brasil    
               
     Acervo: www.70-anos-de-gibis                                           www.greatkrypton.com
 
 
                 Abaixo o Superman da Golden Age                                   E aqui o ator Christopher Reeve,
                                  Siegel & Shuster                                                 para muitos, o maior Superman
                                             www.comicbookherald.com                                                       https://medium.com   
 
.....................................................................................................................................................................................................................    
 

13 - SUPERGIRL e SUPERBOY - A super-juventude

Derivados do gibi Superman, tivemos dois outros gibis tidos como "da família": SUPERGIRL (no Brasil: Super-Moça) e SUPERBOY (não traduzido), que alcançaram grande sucesso entre, respectivamente, o público feminino e a garotada bem jovem. 

Há registros, alguns ainda discutíveis, de que Supergirl foi criada por Al Plastino, um dos maiores e mais importantes desenhistas do Superman (vejam matéria neste módulo - item 32).

Ambos os personagens - Supergirl e Superboy -  já tiveram, ao longo do tempo, ampla divulgação via gibis e séries de TV, sendo que está sendo esperado o novo filme sobre Supergirl, com a atriz Melissa Benoist vivendo o papel-título.

 
                          Supergirl                                              Superboy
             
                    www.coverbrowser.com                                 www.dc.vikia.com
 
                    The new Supergirl                                         Superboy  
                      Melissa Benoist                                       Década 1970
             
                                     Ambas as fotos: www.pinterest.com

.................................................................................................................................................................................

14 - Hal Foster - O PRÍNCIPE VALENTE   ///   TARZAN - Gênio dos quadrinhos

O personagem épico, O PRÍNCIPE VALENTE, de ficção (muitos pensam ter existido realmente), foi criado por Hal Foster (1892 - 1982), canadense, em 1937, que o desenhou por mais de 30 anos. 

A origem do O Príncipe Valente vincula-se à lenda do Rei Arthur e seus Cavaleiros da Távola Redonda, ambientada na era medieval, lenda esta que, também, de tão divulgada e conhecida acabou por se caracterizar como algo que realmente tenha existido, mas tudo não passa de uma ficção muito bem elaborada e contada ao longo de anos e anos. Transformou-se em filme da década de 1950, estrelado pelo ator americano Robert Wagner e fez um grande sucesso em todo o mundo. 

Inúmeras edições de O Príncipe Valente povoam bibliotecas do mundo todo, em tamanhos os mais diversos, a cores e em preto-e-branco.

Hal Foster foi, ainda, um dos maiores desenhistas de TARZAN, tendo fixado uma imagem muito difícil de ser substituída do grande herói idealizado por Edgard Rice Burroughs

Leiam mais em "Produtos - Acervo", "Cartazes, Fotos e Informações ..." e "Breve Histórico sobre Gibis".

 
                            Hal Foster                Aqui, os magníficos desenhos originais de Hal Foster para O Príncipe Valente
                                              
                         www.erbzine.com                                                                     www.pinterest.com
 
                                                      
                                                          Abaixo, Tarzan na concepção de Hal Foster
                                                                                                                                                 www.erbzine.com                                                       
                         
                                                                                                             www.erbzine.com
                                                                                                           
.....................................................................................................................................................................................................................

15 - Lee Falk - Phil Davis - Fred Frederick - Ray Moore - Wilson McCoy - Sy Barry - Gutemberg Monteiro - Walmir Amaral - André Le Blanc - Juarez Odilon - Evaldo Oliveira - Milton Sardella - Júlio Shimamoto - em MANDRAKE / O FANTASMA - Constelação de gênios dos quadrinhos

O título acima, com o complemento "constelação de gênios dos quadrinhos" é realmente apropriado. Isto porque Mandrake e O Fantasma foram desenhados por um grupo admirável de desenhistas, entre os maiores de todos os tempos

Os quadrinhos têm em sua história inúmeros nomes de autores e desenhistas, inesquecíveis para todos nós. Um deles, sem dúvida alguma, é Lee Falk (1911 - 1999), escritor e quadrinista americano, criador de Mandrake e O Fantasma, dois dos gibis mais populares em todo o mundo, oriundos da longínqua década de 1930. 

Mandrake foi desenhado por Phil Davis (1906 - 1964), que teria se inspirado em um mágico seu conhecido. Após sua morte quem assumiu os desenhos foi Fred Frederick. No Brasil, vários o desenharam, entre eles: Gutemberg Monteiro, Walmir Amaral, Juarez Odilon, Evaldo Oliveira e Milton Sardella. Também André Le Blanc, desenhista haitiano que atuou nos USA e no Brasil, o desenharam.

O Fantasma foi desenhado inicialmente por Ray Moore (1905 - 1984), depois por Wilson McCoy e, finalmente, por Sy Barry (registre-se que André Le Blanc foi assistente de Sy Barry), estes os mais conhecidos, porque o herói teve inúmeros desenhistas em edições diferentes, também por várias editoras diferentes no mundo todo. Stan Lee ,outro "monstro" dos quadrinhos, destacou-se, também, como desenhista de O Fantasma. No Brasil ocorreu o mesmo, ou seja, vários desenhistas reproduziram suas histórias, entre eles, Gutemberg Monteiro, Walmir Amaral, Evaldo Oliveira, Milton Sardella e Júlio Shimamoto, os mais conhecidos. 

Estes dois conhecidíssimos personagens - a exemplo de Tarzan e Tex - conseguiram sobreviver galhardamente durante anos e anos, mesmo com a intensa pressão dos super-heróis interplanetários, tornando-se extremamente familiares a todos que admiram os quadrinhos. Evidentemente, à medida que passa o tempo, infelizmente eles também vão passando, não só pelo surgimento de leitores pouco ou nada familiarizados com suas imagens, mas também pelo aparecimento de incontáveis novos heróis. 

Cabe às editoras manter a edição de seus gibis, modernizá-los e divulgar suas imagens, não deixando que as poderosas chamas dos nomes de Mandrake e O Fantasma se apaguem. Mas cabe principalmente a nós - leitores, admiradores e colecionadores - mantermo-nos fiéis a esses valorosos personagens, condição indispensável para a continuidade de suas edições.

No caso específico de O Fantasma, surpreendentemente, o herói não alcançou no cinema o mesmo sucesso obtido nos quadrinhos, possivelmente por falhas de produção, escolha errônea de intérpretes e abordagem equivocada das aventuras desse glorioso herói nas telas do cinema, não aderentes às expectativas do público e às próprias aventuras publicadas em quadrinhos ao longo dos anos.

Leiam mais nos diversos gibis publicados em "Produtos - Acervo" e "Breve Histórico sobre Gibis".

 
Lee Falk entre seus dois personagens  /  O FANTASMA - desenho Ray Moore  /  MANDRAKE - desenho Phil Davis
                            
                  www.phantomwiki.org                     Acervo: www.70-anos-de-gibis              Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
........................................................................................................................................................................................................................

 

16 - Joe Kubert e SARGENTO ROCK / TARZAN - Um desenhista além de seu tempo

Polonês, naturalizado americano, Joe Kubert (1926 - 2012), foi outro versátil desenhista de quadrinhos, considerado um dos grandes desenhistas de Tarzan, com um traço vigoroso. O Tarzan de Kubert é um Tarzan considerado muito fiel ao herói idealizado por Edgard Rice Burroughs, ou seja, é o humano que, criado pelos animais aproxima-se muito mais deles que do homem, conservando claramente suas características selvagens, tanto na própria postura quanto nos movimentos e na forma de agir.

Kubert desenhou, também, um herói da era dos dinossauros, Tor, que segundo declarações do próprio Kubert era seu desenho preferido. Além disso, entre outros trabalhos, foi o criador de Sargento Rock, um personagem de grande sucesso, e chegou a desenhar Tex, com magnífico resultado. 

Fundou nos USA, a renomada "The Joe Kubert School of Cartooning and Graphics". 

Leiam mais em "Produtos - Acervo" e "Breve Histórico sobre Gibis".

 
                            Tarzan, de Kubert                                                       Tor (quase desconhecido no Brasil)                                  
                                         
                     Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
       
                        Sargento Rock e Kubert                                                               Tex
                        
                                                                                                           Acervo: www.70-anos-de-gibis 
 
.............................................................................................................................................................................................................................

 

17 - José Luis Salinas e CISCO KID - Impressionantes e maravilhosas ilustrações

SALINAS (1908 - 1985), sem dúvida, foi um dos maiores ilustradores da história dos gibis. Criou o personagem Cisco Kid e o construiu com desenhos extremamente elaborados, conseguindo usar de forma muito feliz os recursos da sombra e da profundidade, com uma personalização tão forte de cada desenho, que basta olhá-los rapidamente para saber que são de sua autoria. 

Salinas era argentino e iniciou sua carreira nos USA em 1949, quando foi contratado pelo King Features Syndicate Comics. Ilustrou inúmeros outros gibis e livros (entre eles: belíssimas edições de A Ilha do Tesouro e Os Três Mosqueteiros) e produziu uma enorme quantidade de gravuras, notadamente de personagens históricos e militares. 

Vejam abaixo, dois exemplos típicos de sua obra, além de uma bela página de Cisco Kid.

Leiam mais em "Produtos - Acervo" e "Breve Histórico sobre Gibis".

 
             Abaixo, uma cena cinematográfica de Salinas                                  Salinas - sua visão de Robin Hood
  
 
        Abaixo, José Luis Salinas com uma tira de Cisco Kid                          Sua obra mais conhecida: Cisco Kid
                             
                                                                                     www.pinterest.com
 
                                              O desenho abaixo, de Salinas, para Cisco Kid, dispensa comentários
                                   
                                                                                                                                 www.pinterest.com
 
..............................................................................................................................................................................................................................

 

18 - Alex Raymond - FLASH GORDON / JIM DAS SELVAS / X-9 / NICK HOLMES - gênio pioneiro dos quadrinhos

O autor, desenhista, ilustrador e cartunista americano Alex Raymond (1909 - 1956) foi o gênio criador de Flash Gordon, herói interplanetário que surgiu na remota década de 1930, mais precisamente em 1934, e que se tornou conhecido em todo o mundo, com belíssimos desenhos futurísticos e com personagens minuciosamente estudados. 

Raymond tinha especial facilidade para o desenho de personagens femininas e isto pode ser facilmente comprovado ao observarmos a legião de belíssimas mulheres que povoam as aventuras de Flash Gordon. Isto ocorreria, também, nas histórias de seus outros futuros heróis. 

Raymond criou também, praticamente ao mesmo tempo, o herói das selvas africanas: Jim das Selvas, muito popular, e que foi vivido no cinema por Johnny Weissmuller, um dos maiores Tarzans do cinema. É interessante observarmos essa sequência de papéis de Weissmuller, uma vez que, com o passar dos anos, ele já não mais se adequava ao papel de Tarzan, no entanto, foi o ator ideal para o personagem Jim das Selvas.  

Raymond foi o desenhista, ainda, do Agente Secreto X-9 (criação de Dashiell Hammett), publicado nas décadas de 1940/50 no Brasil, em uma revista policial que caiu no gosto popular, transformando-se em um grande sucesso editorial à época. Essa revista, geralmente com 66 páginas, era um misto de texto e quadrinhos (estes em quatro ou cinco páginas). 

E em 1946, retornando da Segunda Guerra, Raymond cria outro dos grandes personagens dos quadrinhos: Nick Holmes (Rip Kirby, nos USA), um advogado criminalista que atua nas alta sociedade de New York.

São realmente incríveis, com minuciosos detalhes e alta expressividade, os desenhos de Raymond, que influenciou inúmeros desenhistas e, mesmo após sua morte, vem influenciando outros, dada a perfeição de seu trabalho. 

Leiam mais em "Produtos - Acervo" "Breve Histórico sobre Gibis".

                    

              Alex Raymond                                          Flash Gordon, para muitos seu principal personagem  

                     
 
  
                                                       Todas as imagens acima: www.pinterest.com
 

Pode-se observar tanto a altíssima qualidade técnica dos desenhos, quase cinematográficos, quanto a estreita relação entre os desenhos dos diferentes personagens, sendo possível identificar claramente sua autoria - Alex Raymond - num simples olhar.

                                                                     Jim das Selvas (Jungle Jim)
             
                                                                                                                                             www.lambiek.net
 

                                                  Abaixo, Jim das Selvas  (Jungle Jim) e Flash Gordon                                           

          
                                                                                                    http://superman.marianobayona.com/  
 
                     Abaixo, um cartaz divulgando X-9 no cinema                   E aqui, Nick Holmes (Rip Kirby)
                           
                           http://cinespacemonster.blogspot.com.br               tonyfernandespegasus.blogspot.com.br
                                                     
..............................................................................................................................................................................................................................

 

19 - Hanna-Barbera (de TOM & JERRY) e a inesquecível "Corrida Maluca"

Nas décadas de 1950 e 60, a dupla Hanna-Barbera, surgida por volta de 1939 nos USA, produziu uma quantidade enorme de personagens infantis que povoaram os sonhos da criançada daquela época. William Hanna e Joseph Barbera foram os criadores, entre outros personagens, de Tom & Jerry, na década de 1940, e continuaram produzindo novos e incontáveis personagens praticamente até a década de 1990, com grande sucesso. 

Com base no filme de 1965 "A Corrida do Século" de Blake Edwards, com Tony Curtis, Jack Lemmon e Natalie Wood, foram produzidos os desenhos de Corrida Maluca (Wacky Races), com inúmeros personagens, entre eles Dick Vigarista, que teria sido inspirado em Jack Lemmon, e Penélope Charmosa inspirada em Natalie Wood.  

No Brasil, as historietas saíram no gibi Heróis da TV, a partir de 1975 e os desenhos eram apresentados em vários canais de TV, permanecendo até por volta de 1985, mas ainda hoje temos oportunidade de assistir a um ou outro episódio. Consta que a série foi considerada muito violenta para os pequenos telespectadores e mesmo para os leitores dos quadrinhos, motivo pelo qual teria sido retirada do ar naquela época. 

Outro personagem que se destacou na turma de Corrida Maluca foi o cão Muttley, cuja maior alegria era rir das trapalhadas provocadas por Dick Vigarista contra si próprio. 

Leiam mais sobre Hanna-Barbera e sobre seus inúmeros personagens e gibis, no módulo "Produtos - Acervo" e em "Breve Histórico sobre Gibis".

 

                                                    Aqui, uma matéria sobre "Corrida Maluca" (Wacky Races)

                                                     publicada pelo Correio Braziliense, jornal de Brasília-DF   

                  
                                                                                                                               Acervo: www.70-anos-de-gibis
                                                  
                                                                  Vejam o popular Muttley, em seus devaneios:
                                                  
                                                                                              www.clampettstudio.com
 
                                                                             Wacky Races - Grandes Lembranças
  
                                              www.tvsinopse.kinghost.net                                                   hanna.barbera.wikia.com
..................................................................................................................................................................................................
 
 

20 - RIN TIN TIN - Um cão conquista o cinema

Remontam à década de 1920 as primeiras aventuras cinematográficas de RIN TIN TIN. Conta a lenda que o primeiro RIN TIN TIN foi um filhote salvo nas trincheiras da 1a. Guerra Mundial em 1918, portanto, há quase 100 anos! Nas décadas seguintes, vários cães interpretaram o personagem, é claro, pois todos sabemos que a vida de um cão é relativamente curta. 

Na década de 1950, por volta de 1954, foi lançado um seriado americano intitulado "As Aventuras de Rin Tin Tin", ambientadas no Velho Oeste. RIN TIN TIN era o grande herói das aventuras vividas pela cavalaria americana na pacificação das terras indígenas, adotado que foi por um regimento sediado no Forte Apache, onde se destacavam o Tenente Rip Masters (o ator James Brown) e o inesquecível Cabo Rusty (interpretado por Lee Aaker), o simpático garoto amigo de RIN TIN TIN. O seriado na TV alcançou grande sucesso e, nas bancas, o gibi lançado pela Ebal era avidamente procurado pela garotada. 

Leiam mais sobre RIN TIN TIN, neste site - módulos "Produtos - Acervo" e "Breve Histórico sobre Gibis".

 
                                           Ebal - 1958                                                        Ebal  - 1957                                              
                                              
                                                                  Acervo - www.70-anos-de-gibis 
 
                                       Dell - Déc 1950                                                  Gold Key - 1958
                                              
                                                                            www.pinterest.com
 
..............................................................................................................................................................................................................
 

21 - LASSIE - A maravilhosa Collie que atuou com Elizabeth Taylor

Outro cão que fez enorme sucesso no cinema. LASSIE, uma maravilhosa cachorra da raça Collie, nasceu da imaginação do escritor Eric Knight por volta de 1938 e, em 1943 já foi produzido o filme "A Força do Coração", com Elizabeth Taylor em seu primeiro papel importante no cinema. Outros filmes vieram, inclusive uma série de TV que se tornou muito popular nos anos 1950. Em 1950 foi lançado seu gibi pela Dell que, da mesma forma, alcançou grande sucesso, não só entre as crianças, mas também com o público adulto. 

Leiam mais em "Produtos - Acervo" e "Breve Histórico sobre Gibis".

 
                           Elizabeth Taylor e Lassie - 1943                                       Lassie
     
                                                                                     www.pinterest.com       
                 
                   Lassie - Ebal - nº 3 - Julho 1956                         Lassie - Dell - USA - nº 1 - 1950
                                        
                     Acervo: www.70-anos-de-gibis                                                 www.e-bay.com
....................................................................................................................................................................................................................................................
 

22 - CURIOSAS PROPAGANDAS DA "EBAL" NOS ANOS 1950 - apenas uma boa lembrança

Tanto tempo depois, praticamente já decorridos 60 anos, mesmo as propagandas pouco percebidas à época, hoje ganham significado. Estas duas, aqui apresentadas, da Ebal - Editora Brasil-América Ltda, colhidas da contra-capa final de: (i) gibi Cinemin, de 1956, nos mostra Quatro Almanaques: "Aí Mocinho!, Tarzan, Papai Noel e Álbum Gigante", todos para o ano de 1957; e (ii) gibi Rin Tin Tin, de 1957, nos mostra um Almanaque dos Heróis e um outro de Tarzan, ambos para o ano de 1958.

Todos esses almanaques hoje são autênticas raridades. 

Além disso, no anúncio dos almanaques para 1958, mais abaixo no texto, faz-se uma chamada para outros almanaques, hoje igualmente raros. A pergunta que cada um de nós - colecionadores - fazemos é muito simples: 

Por que não comprei todos eles? 

Leiam mais sobre a Ebal nos inúmeros gibis publicados no módulo "Produtos - Acervo" e em "Breve Histórico sobre Gibis", além de matérias neste próprio módulo - itens 1, 2 e 3.

 
                                                       Vale a pena conferir as propagandas da Ebal:
 
                              de 1956 para 1957                                                          de 1957 para 1958
             
                                                                Acervo: www.70-anos-de-gibis
 

Uma outra curiosidade: Entre várias imagens que me enviou o internauta Luis Peix, a maioria já com publicação na Página Luis Peix, deste site, há uma delas mostrando a capa de um gibi americano (da Dell), que é, na verdade, a capa que deu origem à publicada, no Brasil, no Almanaque Tarzan para 1958 - acima mostrado. Vejam a imagem:                                     

                                             
                                                 
                                                            Imagem enviada por Luis Peix
 
...................................................................................................................................................................................................................................................
 

23 - EDIEX - Superaventuras nº 1 - A Ediex chega ao Brasil

Um gibi muito valorizado pelos colecionadores. Interessante observar, como já foi dito neste próprio segmento "Curiosidades sobre Gibis" - item 4 - e em outros tópicos deste site, que os gibis da Ediex preenchiam, à época, uma lacuna importante - nós não tínhamos DVD, ou Blu-ray e nem mesmo as hoje ultrapassadas fitas VHS. Esses gibis eram nosso recurso para rever os filmes que demoravam anos para serem reexibidos nos cinemas. E nem sempre eram exibidos na TV.

número 1 de Superaventuras trouxe "The Savage - Trágica Emboscada", com Charlton Heston, um desses nostálgicos faroestes da década de 1950, filme que eu assisti ainda muito criança, por volta de 1956 e nunca mais o vi, até por volta de 2006 quando consegui adquirir um DVD, contendo a gravação de uma exibição na TV. Acredito - não me lembro bem - que o detalhe que talvez tenha me impressionado no filme, até pela pouca idade que eu tinha, foi o fato do menino ter sobrevivido a um ataque dos índios e ter sido por eles criado, transformando-se num grande guerreiro.

Foi, então, que pouco antes do Natal de 1960, a Ediex lançou os três gibis que eram seu carro-chefe: Superaventuras, Foto Aventuras e Antar (este com filmes de Tarzan). E Superaventuras nº 1 trouxe o filme mas com o título de "Juramento Índio". Foi um verdadeiro alvoroço entre a garotada, ficamos impressionados com o gibi, porque ele apareceu na banca sem aviso, sem propaganda. Ninguém sabia desse lançamento da Ediex, aliás, naqueles tempos as informações caminhavam a "passo de tartaruga".

É difícil entender hoje como nós reagimos a um fato como esse, mas a verdade é que tudo era muito diferente e só posso afirmar que esse gibi causou grande emoção entre a meninada daquela época (já são passados 55 anos !!!). O fato aconteceu lá em minha cidade do interior de MG - Muzambinho, no Bazar Castro (que não existe mais) e houve uma disputa muito grande porque só chegaram 4 (quatro) exemplares. Eu consegui um deles. 

Este gibi Superaventuras - Ediex - nº 01 é destaque neste site no módulo "Momentos Mágicos dos Gibis" - item 8.

Leiam mais sobre a Ediex nos inúmeros gibis publicados no módulo "Produtos - Acervo", nas matérias dos módulos "Cartazes, Fotos e Informações ...", "Contribuições dos Internautas" e no "Breve Histórico sobre Gibis", deste site. Além disso, neste próprio módulo existem outras matérias nos itens: 4, 24, 28, 43 e 48.

Vejam a capa do gibi e, como curiosidade, estou publicando também o mesmo gibi que foi lançado na França, mas com a foto da capa invertida. A comparação entre os dois é bastante interessante.

 
     O memorável gibi da Ediex no Brasil            O mesmo gibi lançado algum tempo antes na França
 
                                       
           Acervo:www.70-anos-de-gibis                                         www.star-ciné-aventures   
 
                                     Uma cena de The Savage, com Charlton Heston
         
                                                                                                       www.pinterest.com
 
.................................................................................................................................................................................................................................  
.................................................................................................................................................................................................................................
 

24 -  GALERIA DE LEITORES EDIEX - Imagens que resistem ao tempo

Nos primeiros números dos gibis da Editormex (Ediex), editados na década de 1960, havia uma seção, na última contra-capa interna, onde eram publicadas fotos dos leitores que para a editora enviassem cartas com suas fotos. Era, na época, uma estratégia de marketing, visando angariar a simpatia e a fidelização dos leitores. Mas era, antes de tudo, sem dúvida, uma atitude simpática da editora. 

Naquela época eu era ainda muito jovem, morava numa pequena cidade do interior e sonhava em ter minha foto publicada num desses gibis, mas isto nunca aconteceu, mesmo porque, por razões que não me lembro, nunca enviei uma foto minha para publicação. Enfim, registro aqui esta lembrança sobre aqueles leitores da primeira hora, abnegados e fiéis, que enviavam suas fotos para publicação. 

Temos aqui um exemplo, com fotos publicadas no gibi ANTAR - nº 2 - de janeiro de 1961, portanto, há 54 anos !!! 

Pergunto-me: - Onde andará essa turma de leitores especiais? 

Espero, sinceramente, que tenham sobrevivido ao longo tempo decorrido, que ainda hoje se emocionem com nossos gibis e que possam ver aqui esta republicação de suas fotos, numa singela homenagem deste site, na verdade extensiva a cada um de nós, leitores da saudosa Editormex (Ediex). 

Seus nomes:

- Hélcio Sasserani - Campinas, SP.

- José Serafim Figueiredo - Santo André, SP

- Manoel Afonso Baião - São João do Meriti, RJ

- Roberto Marum - São Paulo, SP

- Ernesto da Costa Pinho - Inhaúma, GB (seria Guanabara?)

- Oscar Custódio - Bebedouro, SP 

- Tarzan Pereira Medeiros - Brasília, DF

- Edson Antonio de Mello - Orlandina, SP

- Aristheu Alves - Araçatuba, SP

E vejam que temos até um TARZAN nessa turma !!!

 

         Seção: Galeria de Nossos Leitores            Antar nº 2, que publicou a galeria ao lado

   
                                                     Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
................................................................................................................................................................................................................
................................................................................................................................................................................................................
 

25 - Ayres, o anônimo desenhista de Brasília e seu gibi artesanal "MEU GIBI" - O Grande Ayres

Conheci Ayres nos anos 1980. Ele trabalhava na antiga empresa de telefonia do Distrito Federal, a Telebrasília, do Sistema Telebrás, na área de suporte de Recursos Humanos, produzindo pequenos trabalhos: comunicados, folders, folhetos sobre segurança do trabalho, etc. Fomos colegas de empresa durante muitos anos.

Ayres gostava muito de gibis e conversávamos constantemente sobre eles. Era um fã incondicional de "O Rei da Polícia Montada". Aos poucos foi delineando os personagens que tinha na cabeça, Muruma (um indiozinho), Luk (um dinossauro anão), Cascavinha (uma linda cascavel), Beroso e Seboso (dois sapos malandros), Rei Crocá (o chefão dos crocodilos), Hermitão-Tim (um simpático e solitário velhote), etc, e o resultado foi muito bom. 

Publico aqui, a capa do antigo MEU GIBI nº 1, que já faz parte dos segmentos "Produtos (Acervo)" e "Galeria de Fotos", além de uma das páginas do gibi, que mostra muito bem a reconhecida capacidade de Ayres como desenhista de quadrinhos. Tive informações (não confirmadas) de que ele produziu outros números do Meu Gibi e inclusive aprimorou o número 1, mas infelizmente perdi o contato com ele e não posso afirmar o que vem produzindo e se isto realmente ocorreu.

Ao prezado Ayres as homenagens deste site.

 
                               A capa de MEU GIBI nº 1                                               A página nº 5 do gibi
                         
                                                                       Acervo: www.70-anos-de gibis
 

Observação em 12 09 2015: Reorganizando alguns gibis e outras publicações em minha Gibiteca, localizei ontem à noite, um pequeno "gibizinho" produzido por Ayres, que me foi presenteado por ele - com dedicatória, e que se refere a um belo trabalho que realizou para a Prefeitura de Formosa-GO. Vejam abaixo:

                 
                         Belíssimo trabalho de Ayres para a Prefeitura de Formosa - GO
                              
                                                                      Capa                                             
                                       Abaixo, a página central do gibi
                             
 

                                                                  Ambas as imagens: Acervo: www.70-anos-de-gibis

 
........................................................................................................................................................................................................................................
 

26 - Jean Giraud e FORT NAVAJO (TENENTE BLUEBERRY) - Um gênio belga dos quadrinhos no Velho Oeste

FORT NAVAJO tem origem na França. Curiosamente, a Europa sempre valorizou o Velho Oeste americano, possivelmente pela migração intensa ocorrida desde os primeiros tempos da independência dos USA, quando levas e levas de europeus foram tentar viver o chamado "sonho americano". Isto, certamente, os credenciou, como participantes do crescimento do país, a considerarem essa época do encontro entre as civilizações selvagens do Oeste e os americanos do Leste que buscavam novas terras, como sendo algo integrante também da história de cada um desses países, lá representados pelos audaciosos migrantes. 

As histórias de Fort Navajo foram escritas por Jean Michel Charlier (1924 - 1989) e desenhadas por Jean Giraud (1938 - 2012), também conhecido por MOEBIUS e GIR, um dos mais aplaudidos desenhistas de quadrinhos de todos os tempos. 

Leiam mais sobre Fort Navajo no módulo "Produtos - Acervo" deste site.

 
 
                                   Jean Giraud, ou Gir, ou Moebius
                                   www.wikipedia.com
 

               Vejam essa belíssima "pintura" de Jean Giraud sobre o Velho Oeste americano  

                                                                                                              www.pinterest.com
 
                                     E mais estas cinco incríveis "pinturas" das mãos de Giraud
 
  
 
    
 
                               Uma variável do mesmo quadrinho acima, compondo uma cena completa
                                                                             de Blueberry
 
                                     
 
 
                                            As cinco imagens acima, obtidas em www.pínterest.com
 
.................................................................................................................................................................................................................................

        
27 - Uderzo & Goscinny, e HUMPÁ-PÁ, ou OMPA-PA, ou UMPA-PÁ, e também conhecido por UMPAH-PAH - Os belgas invadiram o Velho Oeste

Personagem criado, na década de 1950, por Uderzo & Goscinny, também criadores de Asterix. O herói Humpá-pá é um simpático pele-vermelha flatfeet, americano, que vive suas aventuras na época da colonização daquele país, em companhia de Hubert, um oficial do exército francês.

Consta que Uderzo & Goscinny tentaram publicar Humpá-pá nos USA, mas encontraram grandes dificuldades, e como já tinham iniciado o projeto de Asterix, Obelix, etc, com ambientação na Europa (antiga Gália), e que teve muito maior acolhida, optaram por se dedicarem a ele, deixando Humpá-pá um pouco marginalizado, no entanto, mesmo não havendo uma maciça publicação de gibis, o personagem foi muito bem aceito pelos leitores e hoje seus exemplares disponíveis são verdadeiras preciosidades. 

Vejam gibis de Humpá-pá e Umpa-pá publicados no módulo "Produtos - Acervo" deste site.

       Um exemplar como "Ompa-pa"              Outro, como "Humpá-pá"                         E aqui, "Umpa-pá"

    HUMPÁ-PÁ e os piratas - Editorial Bruguera - nº 2 - 1962     UMPA-PÁ Pele-Vermelha - Editora Record - nº 01 - 1987

                     www.wikipedia.com                        As duas imagens acima: Acervo: www.70-anos-de-gibis

......................................................................................................................................................................................................

28 - CAPAS DOS Nºs. 05 - EDIEX - Superaventuras - Foto Aventuras e Antar - MARÇO/1961 - Capas estranhas

Para o colecionador observador, houve algum problema com a edição brasileira dos números 05 desses gibis. Isto porque as capas dos gibis da Ediex, via de regra, eram repetidas no Brasil, exatamente como haviam sido publicadas algum tempo antes, na França - gibis Star Ciné Aventures!, Star Ciné Bravoure, Photo Aventures, Far-West Magazine, Cowboy Magazine, Jungle Film. 

E, curiosamente, ou por coincidência, os três gibis citados não foram editados com a capa publicada na França e sim com uma capa desenhada no Brasil e, convenhamos, não eram da melhor qualidade. A conclusão que chegamos é que, possivelmente por falta de material, a Ediex viu-se obrigada a produzir rapidamente referidas capas no Brasil, não tendo tido tempo para uma melhor elaboração. Há, no entanto, informações entre pessoas que eram do meio, à época, que a capa da Superaventuras foi retida pela censura e, possivelmente, como poderia ser um processo englobando as três edições, as outras duas também foram retidas. Mas são apenas suposições, sem efetiva base de informação.

No caso de Superaventuras, a capa original francesa também era de péssimo gosto (com a atenuante de que era uma imagem semelhante ao cartaz do filme à época), o que acabou por não fazer muita diferença, no entanto, no caso de Foto Aventuras (o melhor desenho) e no caso de Antar, as capas poderiam ter sido um pouco melhores.

                           
                                Vejam as capas publicadas no Brasil e na França:
 
             Superaventuras 05 - Brasil                            Photo Aventures - França
                                              
                       ► PHOTO AVENTURES - N°12  KUMA TZAI KUMA  - 1958 www.e-bay.com
 
              Foto Aventuras 05 - Brasil                           Photo Aventures - França
                        www.e-bay.com
        
                        Antar 05 - Brasil                                        Jungle Film - França
                       www.fr.picclick.com
 Os três gibis brasileiros: Acervo: 70-anos-de-gibis
......................................................................................................................................................................................................
 

29 - Morris, criador de LUCKY LUKE e um "Cartoon" muito interessante para TEX - Maravilhosos personagens e maravilhosos ilustradores

Como uma curiosidade, publico aqui um "cartoon" muito original de Morris, demonstrando como seria Tex, se o "Águia da Noite" fosse por ele desenhado. E ao lado de Tex ainda podemos ver seu inseparável amigo Kit Carson

É claro que se tratou de uma brincadeira de Morris, usando os mesmos traços de Lucky Luke, que tem uma característica humorística, enquanto Tex é, na sua essência, um faroeste nos moldes tradicionais, cru e violento, e tem sido desenhado por inúmeros e competentes desenhistas. Mas foi uma feliz incursão de Morris, pois o resultado ficou muito interessante.

                                              Vejam o desenho (cartoon) de Morris   

      Como contra-ponto, um belíssimo desenho de TEX, de autoria de Laura Zuccheri        

    www.texwillerblog.com

...................................................................................................................................................................................................

30 - Ziraldo, o incrível brasileiro, e TARZAN em belíssimo "Cartoon" - O Brasil bem representado

Aqui um dos mais conhecidos "Cartoons" de Ziraldo, importantíssimo cartunista brasileiro, mostrando um Tarzan fora dos padrões normais e, sem dúvida, num dos seus mais felizes trabalhos. Li, há algum tempo, em uma entrevista de Ziraldo, que esse "cartoon" já foi publicado no mundo todo, tendo, inclusive, sido plagiado, ou seja, em vários momentos, no exterior, outros cartunistas o apresentam como sendo seu. Mas para nós que conhecemos o inconfundível traço de Ziraldo, não há dúvidas quanto a sua autoria e, se um dia eu me deparar com uma situação como essa, não terei pena, denunciarei. 

       Vejam a alta qualidade do "cartoon" de Tarzan, de autoria do brasileiro Ziraldo
 
                               www.ziraldo.com
.....................................................................................................................................................................................................................
 

31 - TEX  -  UM "CLUBE" PARA "TEX" EM PORTUGAL - Tex em nosso querido Portugal

Fica aqui registrada uma homenagem deste site, com a publicação de seu "logo", de muito bom gosto, ao simpático Clube TEX Portugal, que teve início em agosto/2013, e que congrega admiradores do herói criado por Giovanni Luigi Bonelli e Aurelio Galleppini, hoje cultuado no mundo todo. 

O Clube Tex Portugal foi criado por um grupo de abnegados fãs do grande herói, do qual orgulhosamente já faço parte, e tem como Presidente : José Carlos Francisco - que declarou no próprio blog suas duas grandes paixões: Tex e o lendário Benfica. 

O Clube, de uma forma muito competente, divulga matérias e ilustrações sobre Tex, agregando admiradores e promovendo eventos sempre com a presença de autores e desenhistas de renome, e edita uma revista intitulada "Revista do Clube Tex Portugal", que já se encontra em seu 4º número (junho/2016).

Para aqueles que se interessarem, o endereço na internet do Clube Tex Portugal é: http://texwillerblog.com/wordpress

É possível, também, contatar o Clube, utilizando-se o e-mail: clubetexportugal@icloud.com

Leiam mais a respeito, no ícone "Produtos - Acervo", neste site, nos comentários de cada um dos inúmeros gibis Tex publicados, bem como nas matérias contidas neste módulo - itens 6, 16 e 29

 

               Logo do Clube Tex Portugal                             Abaixo, outro belo "logo" publicado pelo "Tex Willer Blog"
        
                                                            www.texwillerblog.com
 
                            Vejam, abaixo, a bela capa da Revista Clube Tex Portugal nº 2 - Junho 2015
                                                          A belíssima ilustração é de Fabio Civitelli
 
                                                    
                                                                              Acervo: www.70-anos-de-gibis
 

Nota em 25 01 2016: Já editado o número 3 - dezembro 2015 - Revista Clube Tex Portugal.

                                            
                                             Vejam abaixo a belíssima capa - desenho de Luca Vannini
 
                                                     
                                                                           Acervo: www.70-anos-de-gibis

Nota em 22 08 2016 - Já editado o número 4 - junho 2016 - Revista Clube Tex Portugal. Vide módulo Produtos - Acervo.

 
                                                     
 
...........................................................................................................................................................................................................................
.............................................................................................................................................................................................................................
 

32 - Al Plastino, o SUPER-HOMEM (SUPERMAN) e o PRESIDENTE KENNEDY - Afinal quem é o Superman?

Um momento histórico para os gibis, ocorreu em julho de 1964, com a publicação pela DC Comics de um gibi dedicado ao Presidente Kennedy, mostrando- em uma aventura com o Superman (DC Comics nº 170).

Há um grande segredo em relação aos direitos desses originais (desenhos), uma vez que o grande desenhista Al Plastino (1921 - 2013) os teria doado a uma Fundação ligada ao Presidente Kennedy e eles teriam desaparecido, tendo sido levados a leilão público. Interessante, e louvável, é que Al Plastino não queria o benefício para si, mas exigia o retorno desse rico material a quem ele teria feito a doação. 

Polêmica à parte, porque a DC Comics teria finalmente, logo após a morte de Al Plastino, conseguido confirmar a doação, vamos apreciar parte desses maravilhosos e históricos desenhos. Vejam as curiosas imagens dos quadrinhos mostrando o Homem de Aço com o Presidente Kennedy, que governou os USA - e que se tornou extremamente conhecido em todo o mundo - até seu trágico assassinato em 22 nov 1963

Difícil concluir quem seria mais popular, se o Super-Homem, ou o Presidente Kennedy que, na verdade, se considerava um verdadeiro Super-Homem. 

                        
       Abaixo, quadrinhos do gibi, com os magníficos desenhos de Al Plastino:
     
                                                                                                                              ... e, abaixo, o próprio
    
                                            www.ogatoalfarrabista.files.wordpress.com                        https://filmow.com
........................................................................................................................................................................................................................
 

33 - GÊNIOS DA "BANDA DESENHADA" FRANCO-BELGA e o VELHO OESTE AMERICANO - Ousadas, incríveis e bem sucedidas incursões européias pelo Velho Oeste americano

A chamada Banda Desenhada - BD - franco-belga já produziu incontáveis e extraordinários personagens, valendo lembrar, inicialmente, o valoroso TinTim, que vem do final dos anos 1920, criação de Hergé. Em 1938, Rob-Vel (Robert Velter - 1909 - 1991) cria Spirou, um jovem aventureiro, atendendo a um pedido de Jean Dupuis, editor. Spirou torna-se muito popular e, em 1944, incorporado ao projeto, Jijé (Joseph Gillain) cria Fantásio, um repórter fotográfico.

Mas Bélgica e França, além de Alemanha e Itália, sempre tiveram grande simpatia pelo Velho Oeste americano.

Na Itália tivemos a origem de TEX, grande herói do faroeste criado por Gianluigi Bonelli e Aurelio Galleppini, personagem hoje conhecido em todo o mundo. Além disso, a Itália é o berço do chamado "western spaghetti", cujo maior representante, sem dúvida, foi Sergio Leone com seus vigorosos faroestes. E tivemos, ainda, Ken Parker, criado por Berardi & Milazzo, além da notável série "Storia del West" de Gino D'Antonio, que foi publicada no Brasil pela Ebal, nos gibis Epopéia e Epopéia Tri. 

Igualmente importante foi, também, a publicação no Brasil, por volta de 1980/1981, de uma curiosa criação de Sérgio Bonelli (1932 - 2011), sob o pseudônimo de G. Nolitta (Guido Nolitta), também pela Ebal, numa série intitulada Reis do Faroeste, formato pequeno - 0,157 x 0,216 cm, com 98 páginas, dos selos "O pequeno Ranger" e "Estrela Negra", contendo formidáveis histórias do Velho Oeste americano, sendo que "O Pequeno Ranger" publicava especificamente as histórias oriundas de "Picollo Ranger". 

Da Espanha nos veio Manos Kelly de Antonio Hernandez Palacios, uma primorosa produção que surgiu no início dos anos 1970. cujo autor, ainda nessa década, juntamente com Jean-Pierre Gourmelen, desenhou Mac Coy, outro grande personagem do Velho Oeste.

A Alemanha, através da obra de Karl May - Winnetou, mundialmente conhecida, marcou sua presença no Velho Oeste de forma incisiva. A série de filmes com o personagem, vivido por Pierre Brice, tendo Lex Barker no papel de Old Shatterhand, posteriormente interpretado por Stewart Granger, também fez sucesso em todo o mundo.  

Mas, sem dúvida, Bélgica e França destacam-se e foram responsáveis por vários personagens e publicações inesquecíveis. Vou citar alguns (apenas aqueles que são ligados ao Velho Oeste):

Jerry Spring - de Joseph Gillain (Jijé);

Fort Navajo (Tenente Blueberry) - de Charlier e Jean Giraud (Moebius, ou Gir)

Os Túnicas Azuis - Raoul Calvin e Louis Salvérius (depois Willy Lambil)

Ompa-pa, ou Humpá-pá, ou Umpa-pá, ou Umpah-pah - de Uderzo & Goscinny 

Lucky Luke - de Morris 

Comanche - de Hermann & Greg (primeiros 10 números); após, Rodolphe e Michel Rouge

Durango - de Yves Swolfs 

A Carroça de Thespis - de Christian Rossi e Phillipe Bonifay

Pinkerton - de Damour e Guérin (ainda sem maiores informações) 

Vejam também, outros detalhes no item 34 seguinte e no item 47 deste módulo. Ainda sobre a impressionante produção franco-belga de gibis, há inúmeros comentários nos diversos gibis publicados no módulo "Produtos - Acervo". 

 
                                  Vejam algumas imagens sobre esses incríveis gibis:
 
      
                                 www.pinterest.com                Acervo:www.70-anos-de-gibis
 
     
             Acervo: www.70-anos-de-gibis                                 www.wikipedia.com
 
 
                                                           Comanche
      
                                                                      www.westernsaga45.blogspot.com.br
                  
                                          Um belo quadrinho de Comanche - alta qualidade de ilustrações
                                                                                                                                                     www.lambiek.net
                                     
                         Pinkerton                                              Lucky Luke                                           Durango
   /album/galeria-de-fotos/im-a-poor-lonesome-cowboy-2-jpg/     
   www.westernsaga45.blogspot.com.br                         www.pinterest.com            Acervo: www.70-anos-de-gibis
    
                                                                                 A Carroça de Thespis
                                                                 A CARROÇA DE THESPIS - de Rossi e Bonifay - Ed. Meribérica - nº 1 - 1982
                                                                             Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
..............................................................................................................................................................................................................................
 

34 - Jijé e JERRY SPRING - Um inesquecível personagem do Velho Oeste, mas "nascido" na Bélgica 

JIJÉ (Joseph Gillain, 1914-1980), cartunista belga, foi o criador de Jerry Spring.

Abaixo, maravilhosos desenhos de Jijé para a série Jerry Spring, herói do Velho Oeste. A banda desenhada - BD - franco-belga, produziu vários personagens, já citados neste site, muitos deles (vide item anterior) com enfoque no Velho Oeste americano, como é o caso de Jerry Spring

O grandioso trabalho de Jijé produziu personagens de destaque na BD, tais como Spirou e Fantasio, além de Jerry Spring, Jean Valhardi, Barbe Rouge, Blondin et Cirage, entre outros. 

Vejam também, sobre Jerry Spring, o item 33 acima e, mais adiante, item 47.

 
     Belíssimas capas de Jerry Spring (Duas da França e a última de Portugal - Cavaleiro Andante)
    
                  Duas imagens acima : www.lambiek-net                            http:passagens-bd.blogspot.com.br
 

                                        Desenhos perfeitos, verdadeiras obras de arte - Jijé !!!

Observem nos quadrinhos abaixo, a clareza de movimentos e a postura dos animais

                                                                                            www.lambiek.net

                                    O Grande Jijé, gênio criador de Jerry Spring

                                      www.editionsmosquito.com

...............................................................................................................................................................................................................

35 - WINNETOU - A BELA PAISAGEM DA CROÁCIA, LOCAÇÃO DOS FILMES DA SÉRIE WINNETOU - Imagens do Paraíso

O que mais me impressionou na maravilhosa série de filmes realizados por Harald Reini sobre o índio Winnetou, baseados na obra do alemão Karl May, foi a beleza da paisagem, notadamente a região onde ficava a aldeia indígena, próxima ao Rio Zrmanja, um autêntico canyon. Pesquisando a internet, descobri que se trata de uma região da atual Croácia e o lago, próximo da aldeia índia é o Lago Plitvice.

Na época em que os primeiros filmes de Winnetou - com o ator Pierre Brice vivendo o pesonagem - foram lançados, nos anos 1960, não havia DVD e nem mesmo as fitas VHS, assim, contávamos apenas com as publicações em revistas para acesso aos filmes, já que nem sempre eram repetidos nos cinemas e raramente eram exibidos na TV. O versátil ator Lex Barker (que anteriormente, entre outros, fez papel de índio e foi um famoso Tarzan), deu vida ao personagem Old Shatterhand, o grande amigo branco de Winnetou; num segundo momento, coube a Stewart Granger desempenhar esse papel. 

A Ediex (Editormex), que se especializou em publicar filmes de aventuras na forma de fotos, publicou um gibi em 1964 - Foto Aventuras - nº 47, com um dos filmes de Winnetou, com o título de "Emboscada em Silver Lake". Comprei o gibi e o tenho comigo até hoje, apesar de que é em preto-e-branco, perdendo-se muito em relação à paisagem. 

Vejam abaixo, (i) o gibi da Ediex, já publicado neste site no ícone "Produtos - Acervo" e com outros comentários em "Cartazes, Fotos e Informações ..."; (ii) o livro de Karl May; e (iii) fotos dos locais das filmagens e cenas dos filmes. Realmente podemos observar que se trata de uma paisagem formidável.

 
                                    O gibi da Ediex                                        O livro de Karl May
                               
                    
                                 O Rio  Zrmanja                                                            O Lago Plitvice (cena do filme)

   

                           Cena do filme com Winnetou - Pierre Brice (as montanhas ao fundo)
              
                                  Outra cena com Winnetou e Old Shatterhand (Lex Barker) com as montanhas ao fundo  
                                   
               
                Uma foto promocional 
(não se trata de Pierre Brice como Winnetou)                                    Foto do local das filmagens
                
                                      Todas as fotos acima: https://pixabay.com
 
    Old Shatterhand foi interpretado num segundo momento por Stewart Granger. Vejam abaixo:
     
                                                                                              http://karel-may.majerco.net/
 
....................................................................................................................................................................................................................
....................................................................................................................................................................................................................
 

36 - O GIBI "CINEMIN" - O que de melhor havia sobre cinema

CINEMIN foi um gibi em quadrinhos, publicado pela Ebal, voltado exclusivamente para o cinema. CINEMIN teve fases distintas: surgiu no início da década de 1950, mais precisamente em 1951, publicando a quadrinização de filmes, tendo passado a publicar biografias de atores e, posteriormente, a partir de 1956, voltado a publicar filmes. Assim, publicou, em quadrinhos preto-e-branco, a biografia de todos os grandes atores americanos da época e chegou a publicar grandes filmes, tendo alcançado enorme sucesso no Brasil

Entre os filmes que publicou, pode-se citar: Helena de Tróia (*), Alexandre - o Grande, Os Cavaleiros da Távola Redonda, Os Dez Mandamentos, Ben-Hur, Spartacus, A Queda do Império Romano, O Grande Motim, A Conquista do Oeste, Da Terra Nascem os Homens, Moby Dick, Duelo de Titãs, Orgulho e Paixão, Marcha de Heróis, Onde Começa o Inferno, Quem foi Jesse James, Um de Nós Morrerá, Rastros de Ódio, Rumo ao Desconhecido, O Homem dos Olhos de Raio-X, A Ilha Misteriosa, Viagem ao Centro da Terra, e muitos outros. O contrato de publicação do gibi, pela Ebal, foi feito com a Dell americana, e os gibis brasileiros eram cópia fiel do gibi americano, com as mesmas capas e, muitos deles, com desenhos aqui copiados por desenhistas brasileiros. 

(*) vejam matéria sobre o gibi americano original Helen of Troy, no item 58 deste módulo.

O melhor período do gibi foi, sem dúvida, o iniciado em 1956 e que durou até 1963. A partir daí não mais teve regularidade, chegou a modificar seu tamanho, mas isto não agradou ao seu tradicional público. Desapareceu no final de 1965, teve um breve relançamento em 1975, com historietas infantis, sem sucesso, e retornou, completamente modificado, em 1985, não mais como gibi quadrinizado, mas sim como revista especializada em notícias e informações sobre cinema. 

Mas CINEMIN ficou na memória de todos aqueles que gostam de quadrinhos e ao mesmo tempo de cinema. Não podemos nos esquecer que esses gibis tinham uma função parecida com a hoje representada pela TV, pelo DVD ou pelo Blu-ray: eram a única fonte de divulgação dos filmes, não havia outra, ou seja, naquela época nem mesmo as fitas VHS existiam. 

Assim, o desaparecimento do gibi ocorreu com a consolidação da TV no Brasil que, mesmo de uma forma ainda incipiente, passou a transmitir filmes. Penso que, na verdade, o gibi não evoluiu, não se modernizou, daí o maior fator para seu desaparecimento. Se tivesse sido reformatado, produzido em papel de melhor qualidade e com quadrinhos coloridos, certamente teria mantido seu sucesso. Praticamente o mesmo aconteceu com os gibis editados pela Ediex - Editormex, detalhe já abordado neste segmento - item 4.

Vejam nos ícones "Produtos - Acervo" e "Cartazes, Fotos e Informações ...", deste site, inúmeros outros detalhes sobre o gibi Cinemin e sobre os filmes quadrinizados nele publicados.

 
                                                Vejam exemplos de CINEMIN
                   
                   
                  
                              Todos os gibis acima: Acervo www.70-anos-de-gibis
................................................................................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................................................................
 

37 - KING KONG - Um gorila sempre solicitado pelo cinema

Em 1977, a Ebal, tradicional editora brasileira de gibis, aproveitando a "onda" do lançamento de uma nova versão do filme "King Kong", publicou um gibi - Coleção HQ - com quadrinhos de alta qualidade, contendo a versão do filme de 1933, tida por muitos críticos como sendo a melhor delas, em que pese ter sido filmada em branco-e-preto, e sem, evidentemente, os modernos efeitos especiais, mas com um conteúdo muito bom. 

Leiam mais sobre King Kong em "Produtos - Acervo" e "Cartazes, Fotos e Informações ..." deste site.

                                                                    Eis o gibi da Ebal 

                                                         Acervo: 70-anos-de-gibis

 

                        Vamos abrir aqui um espaço paras as mulheres (ou melhor: as mulheres de King Kong)

                                 Como curiosidade, vejam abaixo as três atrizes que viveram o papel da heroína

 Fay Wray - 1933 (Ann Darrow)     Jessica Lange - 1976 (Dwan)           Naomi Watts - 2005  (Ann Darrow)

   

                                                                     As três fotos acima : imdb.com

............................................................................................................................................................................................................

............................................................................................................................................................................................................

38 - Mort Walker e o RECRUTA ZERO (Beetle Bailey) - O "valoroso" recruta do exército americano

Criação de Mort Walker (1923 - ), o personagem surgiu como um estudante americano, em 1950, tendo se transformado no "Recruta", no decorrer da Guerra da Coréia, em 1951, como forma de prestigiar o exército americano, apesar de que o exército não pensasse assim. O sucesso de Zero foi imediato.

Seu nome original é Beetle Bailey e vive suas hilariantes aventuras no Quartel Swampy, onde seu maior inimigo é o Sargento Tainha. Preguiçoso, Zero está sempre procurando uma folga e seu lema é: "Não faça amanhã o que você pode fazer depois de amanhã". Evidentemente, o instável Sargento Tainha não pensa dessa forma, daí o conflito é inevitável. 

Consta que, num primeiro momento, a alta cúpula do exército americano tentou bloquear a divulgação das tiras produzidas por Mort Walker, sob a alegação de que o personagem, na verdade, depreciava o exército,  mas o sucesso de Beetle Bailey foi de tal ordem, que neutralizou completamente essa tentativa.

Vários desenhistas no Brasil foram responsáveis pelo Recruta Zero (época da RGE), entre eles: Walmir Amaral e Evaldo Oliveira. Também Primaggio Mantovi, desenhista italiano radicado no Brasil, que participou do antigo grupo de desenhistas da RGE, está ligado à história do Recruta Zero, tendo desenhado vários exemplares.

Tivemos um desenho animado sobre o Zero apresentado no Brasil,  inicialmente pelo SBT e depois pela TV Record, com muito sucesso, não só junto ao público infantil, mas também em relação ao público adulto.

Recruta Zero foi editado pela Dell americana desde a década de 1950 e continua fazendo sucesso em todo o mundo. No Brasil foi editada pela RGE até os anos 1980. Nos anos seguintes foi publicado por inúmeras outras editoras, inclusive em formatos diferentes. São, todos, gibis muito agradáveis, uma leitura extremamente leve. 

Leiam mais sobre o Recruta Zero em "Produtos - Acervo", deste site.

  Vejam Zero, Tainha e Oto, o cão de Tainha                Abaixo, o gibi da Dell             e         outro da RGE 

     completamente identificado com o dono, 

              a começar pela aparência                     

  

                                                    tv.tropes.org                    retropopcul.tumblr.com                Acervo: 70-anos-de-gibis                      

..............................................................................................................................................................................................................................

..............................................................................................................................................................................................................................

 

39 - Russ Manning (grande desenhista de TARZAN) e os belos gibis "WESTERN ROUNDUP" - Impressionantes obras de arte

Os gibis de faroeste na década de 1950 tiveram um verdadeiro "boom". Houve um gibi editado pela Dell nos USA, chamado "Western Roundup" que fez enorme sucesso e que trazia capas muito interessantes, geralmente com o rosto dos heróis do faroeste, e com muitos  desenhos internos de autoria de Russ Manning, além de outros desenhistas como: Warren Tufts, Dan Spiegle, Nicholas Firfires, Lenox, Sparky Moore e Nat Edson, todos eles de elevado nível. 

Russ Manning (1929 - 1981) - desenhista americano - deixou, sem dúvida, uma enorme lacuna no mundo dos quadrinhos. Foi um dos principais desenhistas de Tarzan ao longo do tempo, tendo, inclusive, substituído Jesse Marsh, outro excepcional quadrinista. 

Com seu traço vigoroso desenhou também Irmãos de Lança, personagens que se tornaram muito populares no Brasil, na década de 1950, e que eram publicados inicialmente em Tarzan. Na verdade, tanto Tarzan quanto Irmãos de Lança foram desenhados por Marsh e por Manning, havendo ilustrações que não se consegue identificar claramente qual dos dois foi o autor.

 
                              Russ Manning - ao lado "Irmãos de Lança - Brothers of the Spear"
 
                                         
                                                                           www.erbzine.com
 

Publicamos a seguir, alguns desses gibis, inclusive um Tarzan, com uma página interna de cada um, para que os internautas possam confirmar a qualidade da publicação. Uma verdadeira maravilha.

 

       Abaixo, os gibis Western Roundup                  e                   suas belas páginas
 

      

                                                                                         Aqui, acima e abaixo, Dale Evans

 
       
                                                                                                        
 
                                  Abaixo, Johnny Mac Brown       

                                                                                                                   

        

   

                                    E, adicionalmente, Tarzan !!!                                                                                                   

 

          

                                                                                        

                            Todas as imagens acima:  http://pencilink.blogspot.com.br/

...............................................................................................................................................................................................................................

...............................................................................................................................................................................................................................

40 - Carl Barks - Um gênio por trás de Walt Disney

Os personagens Disney passam a idéia de que foram todos fruto da imaginação e da mão de Walt Disney, no entanto, isto não é verdade. Sem qualquer demérito ao grande criador que foi Disney, inúmeros profissionais contribuíram com sua criatividade, com seu traço peculiar em cada desenho, com sua capacidade de roteirizar histórias, enfim, os personagens Disney foram, sim, o resultado de um trabalho conjunto, aproveitando muitas idéias individuais devidamente ajustadas ao modelo "Disney", que resultaram, todos sabemos, em uma gigantesca e bem sucedida produção. 

Entre os profissionais que emprestaram seu talento a Disney, destaca-se, sem dúvida, o americano Carl Barks (1901 - 2000).  A Editora Abril, brasileira, nos anos 2004 a 2008, em uma iniciativa das mais felizes, publicou uma série de gibis - 41 volumes - em encadernação de primeira linha e papel de muito boa qualidade, intitulada - "O Melhor da Disney - As Obras Completas de Carl Barks". São centenas de histórias compiladas de inúmeros gibis publicados ao longo do tempo e que têm duas características muito especiais: roteiros incríveis e desenhos belíssimos.

 
                                                 Carl Barks                                               Tio Patinhas
                                      
                                                     www.yodaslair.com             ludy-quadrinhosdisney.blogspot.com.br

 

Reproduzo aqui, um texto publicado na última contra-capa do volume 13, de autoria de um brasileiro - Roger Rocha Moreira - compositor e guitarrista da conhecida banda Ultraje a Rigor, a respeito da magnífica obra de Carl Barks, opinião com a qual concordo plenamente e que coincide exatamente com minha visão, qual seja: 

" Tive a sorte de crescer lendo as maravilhosas histórias de Carl Barks. Eu não sabia quem desenhava e escrevia aquelas aventuras, já que não havia créditos. Também não sabia quem era Barks, pois só vim a descobrir sua identidade muito tempo depois, mas eu era capaz de reconhecer seu estilo: o traço expressivo e bonito, os cenários realistas, as narrativas cativantes, repletas de um humor refinado, com enredos inteligentes e um conhecimento preciso de geografia - o que conferia ainda mais credibilidade a suas deliciosas histórias e aumentava meu interesse por elas. Ter a obra completa do Homem dos Patos é ter um tesouro. " - Roger Rocha Moreira. 

Os parabéns deste site ao Roger, por suas sábias e precisas palavras. 

Leiam mais sobre Tio Patinhas, a mais famosa criação de Carl Barks, no item 9 deste segmento.

 
Publico abaixo, uma das páginas do gibi citado - volume 13 - que contém aquela que considero uma de suas melhores histórias: "O Holandês Voador". Eu já a li dezenas de vezes, desde que a vi publicada pela primeira vez no início da década de 1960, portanto, há mais de 50 anos !!! Uma maravilha !!!
                        
                                          
                                                                          Acervo: 70-anos-de-gibis
 
.................................................................................................................................................................................................................................................

OBS.:

 Selo-Destaque

Esta página de "O Holandês Voador" é destaque deste site, no módulo "Momentos Mágicos dos Gibis" - item 16. 

 
 
................................................................................................................................................................................................................................
........................................................................................................................................................................................................................................................

 

41 - AS REVISTINHAS "SESINHO" - Década de 1950, e "NOSSO AMIGUINHO" - Década de 1980 - Muito parecidas com um gibi

I) SESINHO - Janeiro de 1959

Atendendo a um pedido do internauta Jaime Coutinho, de São Paulo, registrado no módulo "Contribuições dos Internautas" - item 15, pesquisei em meu acervo e encontrei o exemplar abaixo, de "Sesinho", nº 133, de janeiro/1959, do qual publico a capa, além do nº 142, de outubro/1959, que estou publicando no módulo "Produtos - Acervo". 

Comentando a respeito, posso dizer que eu também conheci essa "revistinha", exatamente na década de 1950, por volta de 1957 ou 1958. Era uma publicação do SESI - Serviço Social da Indústria e que tinha as características de um gibi, inclusive o tamanho americano, com vários personagens em pequenas histórias em quadrinhos - um deles era o simpático garoto chamado Sesinho - além de outras matérias e divertimentos para a criançada. 

Esse gibizinho tinha uma função social, que era aproximar os filhos dos empregados na indústria, da empresa onde o pai trabalhava, criando um clima de confiança, ao mesmo tempo que dava boas orientações e exemplos de procedimentos e hábitos relacionados à escola, higiene e saúde. Seu diretor foi o grande educador Vicente Guimarães, o Vovô Felício, como era popularmente conhecido. E desenhistas de peso colaboraram com seu sucesso, tais como: Rodolfo (nas capas), Ari Moreira, Kimbar e também Ziraldo - hoje conhecidíssimo autor e desenhista - e que iniciava sua carreira

Realmente ela marcou uma época, e ficou na memória de quem a conheceu nesse período, pois era muito agradável e divertida. Eu tinha um tio - José Elias - já falecido, que trabalhava no Sesi - em Santo André - SP, e que sempre nos presenteava, os sobrinhos, com exemplares de Sesinho

Vale registrar que Sesinho continuou a ser publicado por muito tempo em tamanho reduzido (desconheço se hoje ainda é publicado).                        

  Vejam, abaixo, o exemplar de Sesinho, de jan/1959                Abaixo, uma página do agradável gibizinho
                                              Arte de Rodolfo                                                                                   Arte de Joselito
 
                                                                          As duas imagens acima e a abaixo: Acervo - 70-anos-de-gibis  
 
                                        Abaixo, uma ilustração  para a historieta " O Jabuti e a Anta do Mato" de Vicente Guimarães, com
                                                                   um belíssimo desenho de Joselito (Sesinho nº 142 - outubro/1959)
 
                                                                
 

Leiam mais sobre Sesinho na descrição do gibi nº 142 de outubro/1959, publicado no módulo "Produtos - Acervo".                                                           

...................................................................................................................................................................................................

 

II) NOSSO AMIGUINHO - Junho de 1988

Da mesma forma, uma outra revistinha editada desde a década de 1950: "Nosso Amiguinho", pela Casa Publicadora Brasileira, com uma configuração gráfica parecida com "Sesinho", mas de pequeno formato: 0,16 x 0,23 cm, trazia historietas, passatempos, quadrinhos e material educativo. 

Uma bela publicação que perdurou durante anos e anos, com um conteúdo altamente instrutivo. Ainda na década de 1980, fiz uma assinatura de "Nosso Amiguinho" para meu filho mais velho, e  essas revistinhas o ajudaram muito em trabalhos escolares.

Vejam, abaixo, o belo trabalho de quadrinização a respeito de pássaros, publicado no exemplar - nº 420 de 1988 - aqui abordado.

                        Nosso Amiguinho de 1988                                    Uma de suas bem elaboradas páginas

  

 
                                                       Ambas as fotos: Acervo - www.70-anos-de-gibis

 

............................................................................................................................................................................................................................................................
............................................................................................................................................................................................................................................................

 

42 - Berardi & Milazzo, e KEN PARKER - Uma obra-prima

A Itália já havia produzido TEX, criação de Bonelli & Galleppini e, em 1977, Berardi & Milazzo surgem com o herói Ken Parker, hoje um dos mais importantes personagens do Velho Oeste americano, não só por sua apurada concepção, mas também pela ampla aceitação que teve junto ao público ao longo do tempo. 

Parker, também conhecido por "Rifle Comprido", referência à arma que usa, foi moldado, e tem sua base construtiva em Jeremiah Johnson, o formidável homem-da-montanha vivido por Robert Redford, no western "Mais Forte que a Vingança - Jeremiah Johnson" de 1972, dirigido por Sidney Pollack

Ambos enfrentam a difícil vida nas profundezas do Oeste Selvagem e têm um acentuado senso de justiça, marcando fortemente o ambiente e as pessoas por onde passam. Num primeiro momento foram impactados pelos rudes costumes da região, pela frieza de seus poucos habitantes, pelos perigos de todas as horas e pela solidão a que são submetidos, e depois, domado o ambiente, tornam-se parte integrante dele e já não sentem nenhum temor, pelo contrário, não são apenas respeitados, são temidos. 

O gibi Ken Parker foi publicado no Brasil, inicialmente pela Editora Vecchi e posteriormente pela Mythos Editora.

É hoje, sem dúvida, um dos grandes heróis do faroeste. 

Leiam mais sobre Ken Parker no ícone "Produtos - Acervo", deste site.

 

      Abaixo, Ken Parker no traço mágico de Milazzo        Jeremiah Johnson, o herói interpretado por Robert Redford 

 
      
                                          www.postcardcult.com                                   https://s-media-cache-ak0.pining.com                          
 
       Um quadrinho (uma cena cinematográfica) de Ken Parker          Abaixo o gibi da Mythos Editora
 
          
                                                       www.lambiek.net                              Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
 
                     Abaixo, Redford em uma cena de Jeremiah Johnson (idêntico a Ken Parker)
         
                                                                                                                      www.dailymail.co.uk
                                                                                      
 
                                                           Parker, Berardi & Milazzo
                       
                                                                                              urubucervando.zip.net
...........................................................................................................................................................................................................................
............................................................................................................................................................................................................................
 

43 - O ATOR "STEVE REEVES" E OS GIBIS DA "EDIEX" - Uma parceria vencedora

Já tive oportunidade de me referir, por inúmeras vezes, inclusive neste próprio segmento do site: "Curiosidades sobre Gibis", aos gibis da Ediex (Editormex). 

Eram gibis "diferentes", ou seja, não eram histórias em quadrinhos e sim a publicação de filmes - geralmente westerns e outras aventuras - na década de 1960, portanto há mais de 50 anos, quando não existia blu-ray, DVD e nem mesmo as hoje ultrapassadas fitas VHS. Com isso, valíamos desses gibis para "rever" nossos filmes preferidos. Raramente eram reexibidos no cinema e dificilmente eram programados na TV. 

Esses gibis foram inicialmente editados na França, com os títulos de Star Ciné Aventures!, Photo Aventures, Star Ciné Bravoure, Far-West Magazine, Cowboy, etc, mas nunca chegaram por aqui. Só recentemente, via internet, temos tido acesso a essas publicações. Muitos ainda as desconhecem. Foram, assim, publicados pela Ediex, na América do Sul, América Central e México, devidamente traduzidos para o castelhano e, no caso do Brasil, para o português. 

O sucesso desses gibis no Brasil foi enorme. Fazíamos nossas reservas nas bancas e tínhamos que buscá-los rapidamente, porque a procura era muito grande. Alguns atores foram mais publicados, como foi o caso de Johnny Weissmuller e Lex Barker, no gibi Antar, que trazia - pelo menos nos números iniciais - apenas filmes do Tarzan. 

Weissmuller teve, também, alguns filmes sobre Jim das Selvas, publicados em Antar. E Lex Barker, um ator mais versátil, teve vários filmes - faroestes e outras aventuras - publicados nos gibis Superaventuras, Foto Aventuras, Foto West, Foto Audácia, Foto Star Capa e Espada, etc. Outros atores que tiveram vários filmes publicados foram: John Wayne, Randolph Scott, Audie Murphy, Burt Lancaster e Gary Cooper. 

Mas o objetivo maior aqui é mostrar os filmes de Steve Reeves que foram publicados nesses gibis da Ediex. Aparentemente, Reeves era um ator de poucos recursos, cuja exposição na tela seria muito mais em função de sua figura de consagrado fisiculturista, que por sua capacidade de interpretação. Mas temos que admitir que Steve Reeves, surpreendentemente, talvez por seu empenho, seu esforço, e até pelo seu carisma, alcançou enorme sucesso, não só no Brasil, mas em todo o mundo. 

Lembro-me claramente das enormes filas que se formavam no cinema de minha cidade de MG - Muzambinho, nos primeiros anos da década de 1960, quando era exibido um filme com Steve Reeves. Quando da exibição de "Os Últimos Dias de Pompéia", a disputa foi muito grande e o filme foi exibido em duas sessões. A fila para a 2a. sessão já começou a ser formada antes de iniciada a 1a. sessão, por aqueles que não conseguiram entrar para assistí-la. E o filme nem era tão bom, mas Steve Reeves realmente atraia o público. 

E a Ediex publicou os seguintes gibis com filmes em que atuou: 

 

                      Foto Star Corsários - nº 01                                                   Foto Heroismo - nº 01 

         Capitão Morgan (filme - O Rei dos Piratas)                              A Guerra de Tróia (filme - idem) 

                                    

          

                          Foto Audácia - nº 07                                                       Foto Audácia - nº 14

 Dois Corações no Combate/O Gigante da Maratona                            A Carga dos Cossacos

                (filme -: O Gigante da Maratona)                                          (Fime  - O Diabo Branco)  

                                  

        

                            Foto Audácia - nº 11                                                        Foto Audácia - nº 12 

                     Rômulo e Remo (filme - idem)                      O filho do Espártaco (filme - O Filho de Spartacus). 

                           

                                                     
                                               Todas as imagens acima: www.70-anos-de-gibis

 

Steve Reeves, sem dúvida, muito contribuiu para o sucesso de vendas da Ediex no período em que ela atuou no Brasil. E nos divertiu muito com seus filmes não tão sérios, às vezes com alguma improvisação, mas certamente uma grande diversão para todos nós. 

A ele, nossa homenagem: Steve Reeves, ator norte-americano, de Montana - USA, estaria completando 90 anos no mês de janeiro de 2016, mas infelizmente faleceu no ano 2000 aos 74 anos de idade. 

Grande Steve Reeves !!! 

 
                  Abaixo, Steve Reeves                                E com Gordon Scott, no filme Rômulo e Remo
                                                  
 
                                    www.IMDb.com                                                                                    www.alamy.com
                                               ......

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: 

44 - Charles Schulz e a "Turma do CHARLIE BROWN" - Belíssima matéria de autoria de Paulo Pestana - Brasília

Publicada pelo jornal Correio Braziliense, de Brasília-DF, há poucos dias - novembro/2015 - a matéria de Paulo Pestana com o título de "Histórias infantis para adultos" aborda a maravilhosa obra de Charles Schulz - Peanuts - colocando muito bem a visão que temos - nossa geração - sobre "A Turma do Charlie Brown". 

Aliás este era o nome pelo qual aprendemos a conhecer essa simpática turminha. O cantor e compositor brasileiro Benito de Paula até compôs uma música nos idos da década de 1970, com o título de Charlie Brown. Mas, infelizmente, tudo parece mudar, tudo parece passar. Hoje, Snoopy, seu cão, alcançou uma projeção enorme, ofuscando seu dono. Mas para nós nada mudou. A Turma do Charlie Brown continua a mesma, exatamente a mesma. 

Neste site podem ser encontradas outras informações sobre Charlie Brown e sua turma, principalmente nos módulos: "Produtos - Acervo", onde estão publicados alguns gibis, e "Álbuns de Figurinhas" - item 07, onde divulguei um precioso álbum da Turma, por mim colecionado em 2006.

 
                 Vejam abaixo a matéria de Paulo Pestana publicada no Correio Braziliense - jornal de Brasília, DF
 
                                                                                                                                              Acervo: www.70-anos-de-gibis
............................................................................................................................................................................................................................
............................................................................................................................................................................................................................
 

45 - Fred Harman e as belas capas de "RED RYDER" - O Cavaleiro Vermelho em ação 

No item 7 deste módulo: "Curiosidades sobre Gibis", já publiquei matéria sobre Red Ryder e sobre Fred Harman, incrível desenhista que conseguiu criar um tipo muito peculiar: Red Ryder e, também, seu pequeno companheiro: Little Beaver - Castorzinho, os quais experimentaram grande sucesso nos anos 1940 e década de 1950, avançando pelos primeiros anos da década de 1960. São desenhos de alta precisão, com um tratamento muito específico à paisagem, aos animais, e aos dois protagonistas, bastando um simples olhar para imediata identificação de seu autor: Fred Harman

Tais desenhos tendiam a um lado quase humorístico do Velho Oeste americano, eram alegres e transmitiam realmente um grande calor humano, talvez intencionalmente, porque não podemos nos esquecer da época a que nos referimos. Vínhamos de um período bastante complicado para os norte-americanos: a Grande Depressão, ocorrida nos final dos anos 1920, início dos anos 30, (lembrando que Red Ryder surgiu em 1934) e, já no final dessa década, o conflito mundial - a II Grande Guerra - que traumatizou a todos. 

Assim, o mundo, sem dúvida, necessitava de uma certa dose de alegria, de descontração. 

Vejam essa seleção de 6 capas de Red Ryder da Dell, ainda dos anos 1940, mais precisamente de 1947, 48 e 49. E vejam mais duas capas - Dell de 1956, reproduzida pela Ebal no gibi Nevada em 1959

Há outras fotos de Red Ryder no módulo "Galeria de Fotos", neste site.

Grandes Capas !!!

     
     
     
                               Todas as seis imagens acima: www.mycomicshop.com
..............................................................................................................................................................
                           
E, adicionalmente, capa de gibi americano da Dell, de 1956, e a mesma capa no Brasil em 1959
      
                              www.mycomicshop.com                                 Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
 
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 

46 - GÊNIOS DA PINTURA E IMAGENS DO VELHO OESTE AMERICANO REPRODUZIDAS EM QUADRINHOS - O Velho Oeste inspirando ilustrações

Faço aqui a compilação de várias ilustrações de gibis mostrando imagens do Velho Oeste americano, a grande maioria delas de autoria dos formidáveis ilustradores italianos e franco-belgas, portanto, de origem européia. São cenas magníficas, inspiradas na excepcional geografia da região, detalhe que ajudou a fixar em todo o mundo a imagem do Velho Oeste

Estas imagens aqui selecionadas já estão reproduzidas em outros tópicos deste site, no entanto, eu as incluo aqui, numa compilação de belíssimas imagens do Oeste Americano que têm inspirado, ao longo dos tempos, os quadrinistas de todo o mundo.

Importante registrar que há, historicamente, grandes pintores americanos que registraram o Velho Oeste, e cito seis deles: Frederic Remington (1861-1909); Charles M. Russell (1864-1926); Paul Calle (1928-2010); e - mais recentemente - Martin Grelle (1954-     ); David Mann (  -  ) e Howard Terpning (1927 -      ). Publico aqui, logo no início da série, uma ilustração de cada um, pintores que conseguiram captar claramente em sua vasta obra, a beleza das regiões, o espírito desbravador e aventureiro dos pioneiros e cowboys, e a grandeza dos nativos e da natureza selvagem, tudo compondo belíssimas imagens do Velho Oeste americano.

E suas maravilhosas obras - sem dúvida impressionantes e valiosos registros - têm sido utilizadas como base pelos ilustradores de quadrinhos, com um feliz resultado, como poderemos ver a seguir: 

                        Abaixo, vaqueiro na pradaria                                        "Encontro entre Sioux e Blackfoot"

                                   Autoria: Frederic Remington                                            Autoria: Charles M. Russell    

     
 
                        Abaixo, Caçadores de Peles                               E índios próximos às montanhas Grand Tetons    
                                                                                                             no Wyoming - USA (Snake River) 
   
                                                    Autoria: Paul Calle                                                         Autoria: Martin Grelle
 
                                        Índios                                                                                   Índios
 
                                                Autoria: David Mann                                                     Autoria: Howard Terpning
 
  
                      Abaixo, Tex e o Grand Canyon                               Outro belo desenho de Tex (Grand Canyon?)  
                                               Autoria: Laura Zuccheri                                                Autoria: Aurélio Galleppini
 
                    Blueberry no Monument Valley                                          Outra bela cena de Blueberry
  
                                       Ambas as ilustrações: Autoria de Jean Giraud (Gir ou Moebius)
 
      
                         Cisco Kid nas pradarias                                           Bela capa de Fort Navajo (Blueberry)
  
                                       Autoria: José Luis Salinas                                                      Autoria: Jean Giraud
 
 
               Os Túnicas Azuis no Monument Valley                   Em Comanche, uma típica cidade do Velho Oeste
 
                                                  Autoria: Salvérius                                                                     Autoria: Greg
 
                                                  Comanche: Índios na inóspita paisagem do Velho Oeste                                 
                                                                                                                                                Autoria: Greg
          
              
                          Durango no Grand Canyon                                            Ken Parker nas terras altas                
 
  
                                             Autoria:  Yves Swolfs                                                               Autoria: Milazzo
 
                      Uma cena cinematográfica de Tex em uma aldeia índígena - Grand Canyon ?
   
                                                                                                                            Autoria: Aurélio Galleppini
 
                               Outra belíssima cena, agora com Red Ryder (Nevada) e Castorzinho
               
                                                                                                                    Autoria: Fred Harman
 
 
                         Jerry Spring e as pradarias                                           Pepe Legal e Babalu no deserto
 
 
                                                            Autoria: Jigé                                                  Autoria: Hanna-Barbera
 
      Abaixo, mais uma vez Blueberry, nas montanhas               E Hopalong Cassidy em capa de gibi brasileiro,
                                                                                                                  com belíssima paisagem            
 
 
                                                 Autoria: Jean Giraud                                                         Autor não conhecido
 
                                      
                                               E, para finalizar, duas cenas com o incrível Lucky Luke
 
           Abaixo, Lucky Luke e Jolly Jumper no deserto                       E a cena clássica do solitário cowboy 
                                                                                                                        rumo ao por-do-sol
 
                                                                            De Morris & Goscinny
 
 
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 

47 - Jijé em notável matéria datada de 11 JUL 2014, oriunda de PORTUGAL, publicada no site - https://ogatoalfarrabista.wordpress.com - AS CAVALGADAS DE JERRY E PANCHO NO "MUNDO DE AVENTURAS" - Jerry Spring em Portugal 

Há muito tempo acompanho o site acima citado, de O Gato Alfarrabista, formidável arcabouço de informações sobre quadrinhos, notadamente aqueles publicados em Portugal, um riquíssimo acervo, digno de figurar entre as "melhores fontes de informação sobre quadrinhos de todo o mundo". 

Há matérias formidáveis, sempre dignificando a chamada "Banda Desenhada" e enaltecendo seus incontáveis autores e desenhistas, ao mesmo tempo que registra maravilhosas histórias envolvendo as edições de quadrinhos em Portugal, transformando-se em rico referencial histórico. Algo simplesmente admirável. Vale a pena o acesso a esse material.  

Assim, transcrevo a seguir, pequena parte que extraí do site, da bela matéria sobre Jerry Spring, criação do belga Jijé (Joseph Gillain, 1914-1980), esperando que os internautas possam apreciar. 

Minha admiração e meus parabéns a O Gato Alfarrabista

Eis o extrato do texto em português de Portugal:

" JUL 11, 2014 - https://ogatoalfarrabista.wordpress.com

CAPAS QUE ENCHEM OS OLHOS - 5

AS CAVALGADAS DE JERRY E PANCHO NO "MUNDO DE AVENTURAS" 

Nestas capas, que assinalam o percurso do famoso Jerry Spring e do seu inseparável companheiro mexicano no Mundo de Aventuras - onde se estrearam no nº 54 (2a. série) de 10/10/1974, com a trepidante aventura "Tráfico de Armas", inédita em Portugal, depois de galoparem também, à rédea solta, no Cavaleiro Andante e no Zorro -, falta um pequeno pormenor: a assinatura do desenhador (excepto na do nº 137). 

Quase todos os leitores sabem que esta série, uma das mais emblemáticas da BD western de origem europeia, foi criada por Joseph Gillain (Jijé), artista polivalente, mestre de mestres no campo da ilustração, pintor, escultor e inventor, cujo centenário se festejou em 13 de Janeiro do corrente ano, tendo a sua vasta obra sido alvo, a pretexto dessa efeméride, de uma notável exposição promovida pela Câmara Municipal de Moura e pelo Gicav (Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu), que estará patente até 21 de Julho próximo no centro histórico daquela cidade alentejana de nobres e antiquíssimas tradições.

No blogue BDBD, orientado por Luiz Beira e Carlos Rico - os dois principais mentores da referida mostra, cuja admiração por Jijé já vem de longe -, pode ser visionada uma magnífica reportagem feita no dia de abertura deste evento, que contou com a grata presença de um neto de Joseph Gillain, residente em Portugal: 

https://bloguedebd.blogspot.pt/2014/06/jije-comemorado-em-moura-reportagem.html

- (lembrete deste site 70-anos-de-gibis: este é apenas um extrato, no site de Portugal a matéria continua) "

Algumas fotos que ilustram a matéria:

          Abaixo, o grande Jijé                                              Jerry Spring e Pancho

               

                                            Capas de "Mundo de Aventuras" - Portugal

                                       Todas as imagens: www.ogatoalfarrabista.wordpress.com

Possuo em meu acervo, o gibi Mundo de Aventuras - nº 466 (capa acima publicada) e, no módulo "Produtos - Acervo", deste site, há descrição mais detalhada do referido gibi. 

Ainda sobre Jerry Spring e sobre Jijé, há outras matérias neste módulo - itens 33 e 34.

 

 

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

48 - RANDOLPH SCOT" NAS PÁGINAS DOS GIBIS DA "EDIEX" - Quatro grandes momentos 

Na década de 1960 (estamos falando de meio século atrás), e conforme já registrei inúmeras vezes neste site, a Ediex (Editormex) lançou vários gibis voltados para a reprodução de filmes em fotos preto-e-branco, que tiveram grande sucesso, principalmente porque não tínhamos naquela época, as facilidades hoje existentes: Blu-ray, DVD e nem mesmo as ultrapassadas fitas VHS. Esses gibis, portanto, faziam esse papel e os guardávamos a sete chaves pois eram um tesouro valioso.   

Como já disse, tenho abordado em várias oportunidades neste site, essa questão dos gibis da Ediex, dada a importância que eles tiveram para nós leitores, naquele momento. Os filmes, inclusive, demoravam às vezes anos para serem reapresentados nos cinemas, e a TV levava ao ar apenas uma parcela ínfima de filmes, assim, só nos restava a alternativa de consultar esses gibis. 

Havia uma certa predominância de filmes de faroeste, tendo sido, inclusive, publicados vários westerns considerados clássicos, filmes de primeira linha. Há, neste site, uma infinidade de gibis já publicados no módulo "Produtos - Acervo" e, inclusive, abordagens específicas nos módulos: "Breve Histórico - O Gibi no Brasil"; "Curiosidades sobre Gibis"; "Cartazes, Fotos e Informações ..."; e "Contribuições dos Internautas", além de várias fotos no módulo "Galeria de Fotos".

A publicação no Brasil, pela Ediex, deu-se algum tempo depois que esses mesmos gibis foram publicados na França, ou seja: gibis Star Ciné Aventures!, Photo Aventures, Star Ciné Bravoure, Far-West Magazine, Cowboy Magazine, Jungle Films, etc 

Um dos atores que mais teve filmes publicados pela Ediex, foi Randolph Scott (1898 - 1987), evidentemente porque foi um dos maiores cowboys do cinema. Futuramente farei uma relação completa dos seus filmes que aparecem nos gibis da Ediex e, neste momento, publico aqui a capa dos que considero os quatro melhores gibis contendo seus filmes, vejam:

1) O primeiro deles, publicado no gibi Foto West nº 01, com o título de "A Volta do Cheyenne" é, na verdade, o filme "A Volta dos Homens Máus" - Return of the Bad Men, de 1948, dirigido por Ray Enright, com Randolph Scott, Anne Jeffreys e Robert Ryan, este fazendo o papel do bandidão - no caso, Sundance Kid - o que era sua especialidade, e também Lex Barker em pequeno papel. O título do filme no gibi aparenta ter relação com a personagem principal feminina conhecida por Cheyenne, assim, penso que deveria se chamar "A Volta de Cheyenne". 

2) o segundo, em Superaventuras nº 08, um outro faroeste "B", "Abilene Town - Rua dos Conflitos", de 1946, dirigido por Edwin L. Marin, um diretor pouco expressivo mas que acabou por reunir um grande elenco, num filme de qualidade acima da média, publicado com o título de "Ladrões de Gado". O filme tem em seu elenco, além de Scott, Ann Dvorak, Lloyd Bridges, Rhonda Fleming (ainda muito jovem), Helen Boyce e Jack Lambert (que aparece na capa com Randolph Scott) tendo, ainda, Edgar Buchanan em grande desempenho como o xerife da cidade. O ótimo ator Jack Lambert sempre fazia papel de "vilão", tendo se evidenciado, alguns anos depois em E o Sangue Semeou a Terra (Bend of the River) de Anthony Mann.

                
                                     Foto West nº 01 - 1962                             Superaventuras nº 8 - 1961
                       
                                                                Acervo: www.70-anos-de-gibis
 

3) O terceiro, publicado em Foto Aventuras nº 06, contém um outro faroeste de boa qualidade, realizado em 1950, também por Edwin L. Marin, chamado "Colt 45" e que recebeu no Brasil o título de "Calibre 45", possivelmente por influência de Portugal, uma vez que o termo Colt se ajustaria melhor a um título brasileiro. Em seu elenco temos, além de Randolph Scott, Ruth Roman, Zachary Scott, Alan Hale, Lloyd Bridges e Ian MacDonald (este, o bandidão de Matar ou Morrer). A foto de Randolph Scott na capa desse gibi foi muito utilizada ao longo do tempo, ilustrando outros gibis, e se tornou muito conhecida. 

4) O último gibi - Foto Aventuras nº 08, nos trouxe um dos grandes clássicos do western: "Caravana do Ouro - Virgínia City" de 1940, dirigido por Michael Curtiz, com Errol Flynn, Miriam Hopkins, Randolph Scott - em excelente desempenho - e Humphrey Bogart, no papel do bandidão. Este filme transformou-se em um dos grandes clássicos do western, tanto pela direção segura de Curtiz, quanto pelo excelente trabalho do elenco e pelo ótimo enredo, cuja história é ambientada na Guerra Civil Americana, focando a amizade entre dois combatentes, um do Norte e outro do Sul. Um detalhe importante sobre o filme é sua maravilhosa (perfeita) fotografia em preto-e-branco.

Dessa forma, fica claro que Randolph Scott muito contribuiu para o sucesso dos gibis da Ediex, com sua imagem totalmente ligada ao Velho Oeste americano. 

                
                                Foto Aventuras nº 6 - 1961                             Foto Aventuras nº 8 - 1961
                           
                                                                  Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
                                                Abaixo, Randolph Scott - Capa do DVD - Colt 45
                                                                      original em inglês
          
                                                                                         www.blog.clickgratis.com.br      
   

Randolph Scott, entre seus inúmeros trabalhos no cinema, realizou uma famosa série de westerns com o diretor Budd Boetticher, infelizmente não publicados nos gibis da Ediex, mas vale a pena lembrar pelo menos os quatro principais, todos eles com locação na belíssima região de Lone Pine, na Califórnia

São eles, todos de altíssimo nível:

- Comanche Station (Cavalgada Trágica)

- Seven Men from Now (Sete Homens sem Destino)

- The Tall T (O Resgate do Bandoleiro)

e aquele que considero o maior deles: Ride Lonesome (O Homem que Luta Só).  

Randolph Scott, um inesquecível cowboy.

 
                                 Uma bela cena de "Ride Lonesome", com Randolph Scott e Karen Steele
       
 
                                                                                                                             www.50anosdefilmes.com.br
 
                                                                                                                                                                                                                               
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 

49 - MISTERIX - Um pequeno gibi semanal argentino da década de 1950

Reorganizando alguns arquivos em minha gibiteca, encontrei dois exemplares de "Misterix", um pequeno gibi editado na Argentina, datados de janeiro de 1959 e, pela numeração, percebe-se que foi publicado desde a década de 1940

É um gibi muito simples, em papel de qualidade inferior, mas que tem seu valor pela originalidade. São historietas curtas, iniciando-se já pela capa.  No exemplar aqui publicado, a história principal é com um herói chamado Joe Gatillo e a aventura se intitula "Los Hombres Del Sur". 

A curiosidade fica, também, pelo fato de que o gibi foi editado pela Editorial Abril, a mesma Editora Abril brasileira. 

Já está publicado no módulo "Produtos - Acervo", deste site.

             
                                       Vejam o gibi Misterix - Editorial Abril - Argentina:
 
MISTERIX - Editorial Abril - Argentina - nº 530 - Ano XII - 1959
                                                                                                             acervo: www.70-anos-de-gibis
 
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 
 

50 - BLUEBERRY -  Encontrei na internet, e gostaria de compartilhar com os internautas, um rico material em: - http://blueberrybr.blogspot.com.br/   -   com publicações sobre Jean Giraud, Jean Michel Charlier e o "Tenente Blueberry" - Um magnífico trabalho

.

Trata-se de um riquíssimo material, melhor que o conteúdo de enciclopédias a respeito do assunto, com incontáveis ilustrações. 

Publica uma infinidade de quadrinhos de "Fort Navajo e Tenente Blueberry", inclusive mostrando com riqueza de detalhes, a inspiração dos mesmos, relacionando-os a cenas de filmes e atores do cinema, e mesmo a outras publicações, que acabaram, entre outros aspectos (homenagens, parcerias, etc) por moldar os personagens de "Tenente Blueberry". 

Vejam um exemplo: 

.............................       .........................................................................................................................       .....................................
 
Blueberry e Tex Willer
 
Em 2008, Jean Giraud desenhou Tex Willer, para Fabio Civitelli, desenhista do Ranger do Texas, inspirado em Blueberry de um tríptico de três retratos blueberryanos, litografado impresso em papel acid-free, tamanho de 54 cm x 24 cm, edição limitada, originalmente usado para promover uma exposição em 1996.
 
 
Ilustrações/ texto de: http://blueberrybr.blogspot.com.br/2013/06/inspiracoes-de-charlier-e-de-giraud.html
...................       ........................................................................................................       .........................

Vale a pena acessar o endereço acima citado e aproveitar seu fantástico conteúdo.

Ficam aqui registrados os parabéns deste site ao gestor do blog referido, dada a sua indiscutível qualidade.

 
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::  
 

51 - DURANGO KID ou LASH LaRUE (Don Chicote) ? - As editoras às vezes nos enganavam 

Já percebi em várias ocasiões, e tenho certeza que os internautas que acessam este site também já observaram isto, mas há inúmeros casos de personagens "trocados" em gibis. Geralmente por uma tentativa das editoras de reduzirem custos, utilizando quadrinhos que originalmente foram desenhados para um determinado personagem e que, de repente, são publicados em história de um outro personagem. Pode ser que em alguns casos, a motivação pudesse ser um pouco mais inocente, ou seja: falta de material, daí lançava-se mão do que estivesse disponível, com ligeiras alterações nos desenhos. 

Mesmo assim, denota-se não só a tentativa de nos enganar, mas também o "desprezo" que havia em relação aos desenhistas que nenhum direito tinham sobre seus trabalhos, os quais eram alterados ao sabor das conveniências. 

Lembro-me de casos envolvendo Kid Colt e Kid Montana, Cavaleiro Negro (Black Rider) e Durango Kid, além de outros, cujos gibis americanos se referiam a um personagem e, quando ocorreu a publicação no Brasil, o nome do herói já era um outro, completamente diferente. Assim, navegando na internet deparei-me com as duas capas de gibis, as quais publico abaixo - Durango Kid e Lash LaRue (Don Chicote) - repito, numa clara tentativa de nos enganar, justamente nós os fiéis leitores desses gratos personagens. Mas tudo bem, creio que já enfrentamos situações mais difíceis, vamos relaxar. 

A paisagem - percebam - é a mesma em ambos os gibis, os ferozes lobos também são os mesmos, e foi mantido o inseparável chicote de Lash LaRue, mas, convenientemente, foi adicionada uma máscara ao personagem, transformando-o imediatamente no poderoso Durango Kid

Fica registrada a curiosidade.

         
           Vejam a capa de Lash Larue - gibi americano               Agora, Durango Kid, publicado no México                                
  
          

                                                   Ambas as imagens cedidas gentilmente por Luis Peix - RJ

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

52 - OS VINGADORES - No filme "Capitão América: Guerra Civil" - de um lado o Capitão América, de outro o Homem de Ferro - Vamos aguardar o que nos trarão os gibis

Matéria publicada no jornal "Correio Braziliense" de Brasília-DF, edição de 29 04 2016:

                                                                                                                                    Acervo: www.70-anos-de-gibis
 
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 

53 - DINHEIRO CUSTA DINHEIRO - Um simpático "gibizinho" institucional do Banco Central do Brasil 

As boas iniciativas merecem divulgação. É com este espírito que registro aqui a existência de um belíssimo "gibizinho" editado pelo Banco Central do Brasil, com quadrinhos a cores, dirigido às crianças, compondo duas historietas que têm como objetivo passar-lhes os primeiros ensinamentos sobre como usar moedas e cédulas, além de lhes mostrar o porquê da existência do dinheiro e como ele é fabricado. 

É uma valiosa publicação, com ensinamentos de grande importância e apresentados de uma forma muito didática, permitindo pleno entendimento pelos pequenos leitores, além de possuir joguinhos, adivinhações e curiosidades. 

A publicação, pelo menos do exemplar que possuo, é da Ponkan Editora - Caixa Postal 12885 - Cep 04009-970 - São Paulo, cuja distribuição gratuita é da www.ecokids.com.br

Trata-se de uma iniciativa da AAMV - Associação Amigos do Museu de Valores do Banco Central - Telefone (61) 3414-2096 - e-mail: amigos.museuvalores@bcb.gov.br 

Um especial aviso aos professores: pelos sites: www.bcb.gov.br  e  mediante mensagens para o endereço de e-mail: museudevalores@bcb.gov.br, ou ainda pelo telefone (61) 3414-1449, vocês podem marcar visitas ao Museu e obter exemplares de publicações gratuitamente.

 
 
                       Vejam a capa do belo "gibizinho"                                         E, abaixo, uma de suas páginas
 
       
                       
                                                           Ambas as imagens: Acervo www.70-anos-de-gibis
 
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 

54 - A VERDADEIRA HISTÓRIA DO VELHO OESTE - Uma publicação realmente "superinteressante"

Encontrei um artigo publicado na revista Superinteressante, brasileira, editada pela Editora Abril - edição 317 de Abril/2013, sobre o Velho Oeste americano, mas com uma visão mais realista, e não aquela geralmente apresentada no cinema e nos seriados de TV. 

Extraí a reportagem da revista e a disponibilizo abaixo para conhecimento dos internautas. É um material muito bem elaborado. 

Vejam o link: 

O verdadeiro velho oeste - superinteressante.docx (46161)  

OBS.: As imagens abaixo não fazem parte da matéria publicada pela Superinteressante. Foram introduzidas aqui apenas a título de ilustração.

                      
                                        Uma cena comum do Velho Oeste - vaqueiros (cowboys)    
 
                                           
                                                                                              www.pinterest.com
 
Do filme "Django" - O que seria uma cidade do Velho Oeste                           E uma velha igreja
 
      
                         www.djangounchained.org/more-django                                                        viagem.uol.com.br
 
 
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 

55 - Russ Manning - Um dos maiores desenhistas de TARZAN - imagens que impressionam 

Mesmo para nós que vivemos intensamente o mundo dos quadrinhos e conhecemos bem quem foi Russ Manning (1929 - 1981), impressiona a qualidade de seus desenhos: perfeitos, simplesmente impecáveis! 

O sentido de movimento que ele dá as suas imagens não se vê comumente em outros desenhistas, com raras exceções, como (eu citaria) os seguintes: 

- José Luis Salinas (em Cisco Kid);

- Hal Foster  (em O Príncipe Valente e Tarzan);

- Jesse Marsh (em Tarzan, e outros);

- Jijé (em Jerry Spring);

- Jean Giraud - ou Moebius - ou Gir (em Fort Navajo / Blueberry); 

- Yves Swolfs (em Durango); 

- Hermann (em Comanche);  

- Milton Caniff (em Terry e os Piratas, e Steve Canyon);

- Will Eisner (Sheena e Spirit)

- Alex Raymond (em Flash Gordon e Jim das Selvas); e

- Aurélio Galleppini (em Tex).

Na verdade, estamos falando de verdadeiros gigantes (gênios) das histórias em quadrinhos.

Mas há outros detalhes sobre Russ Manning neste site, nos módulos: "Contribuições dos Internautas" - item 20, "Produtos - Acervo" (em gibis de Tarzan publicados), e neste próprio módulo "Curiosidades sobre Gibis" - item 39.  

                          Vejam as belíssimas imagens de Tarzan, abaixo, produzidas por Russ Manning

                                                                        Janeiro - 1968

 

                                                                                           Fevereiro - 1968

                                                                                      Ambas as imagens: www.tarzan.com (ERBzine) 

                                   Capa                                                                       1a. página

  

                                                      Ambas as imagens acima - ttp://ripjaggerdojo.blogspot.com.br

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

56 - Milton Caniff e seus incríveis personagens - Criatividade sem limites

Entre os grandes gênios dos quadrinhos, há um lugar especial ocupado por um cartunista norte-americano, chamado Milton Caniff (1908 - 1988).

Caniff foi responsável pela criação de pelo menos três dos maiores personagens de todos os tempos: Terry Lee de Terry e os Piratas; Dragon Lady também de Terry; e Steve Canyon, um personagem muito carismático, desenvolvido com características militares, em 1946, após o término da 2a. Guerra Mundial. Canyon estreou nas tiras de jornais em 1947 e se transformou em enorme sucesso, uma vez que havia grande identidade entre o personagem e os combatentes que voltavam para casa e tentavam retomar suas atividades civis.  

Canif, nos anos seguintes, fez com que Canyon retornasse à vida militar, participando da Guerra da Coréia e, tempos depois, da Guerra do Vietnã

Há quem afirme que, apesar do estrondoso sucesso em todo o mundo de Terry e os Piratas e, posteriormente, de Steve Canyon, na verdade sua maior criação teria sido Dragon Lady, personagem marcante em grande parte das aventuras de Terry. Este surgiu em 1933, um ano depois de Dickie Dare, seu primeiro personagem. Steve Canyon surgiria em 1946

Caniff faz parte do incrível time de gênios dos quadrinhos surgidos nos anos 1930, entre eles Lee Falk, Hal Foster, Fred Harman, Jerry Siegel, Joe Shuster, Chester Gold, Will Eisner, Bob Kane, Carl Barks e Alex Raymond. 

Vejam abaixo o autor e seus principais personagens. Grande Caniff !!!

 
                        Milton Caniff
 
                                         www.shsu.edu
 
 
                    ACG - Amazing Comics, com
                               Dragon Lady                                                Abaixo, Terry and The Pirates, página
             Imagem gentilmente enviada por Luis Peix                                                        www.pinterest.com
 
 
                                               Abaixo, outro de seus incríveis personagens: Steve Canyon
    
                                                                                                                                     loac.idwpublishing.com
 
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 
 

57 - Will Eisner - Um gênio à frente de seu tempo 

Mais conhecido por ser o criador de "The Spirit", o norte-americano Will Eisner (1917 - 2005), criou outros personagens dos quadrinhos e produziu inúmeros outros trabalhos. Podemos citar, entre eles: Sheena - A Rainha das Selvas, Phantom Lady, e The Flame, este um super-herói publicado no Brasil tão somente no final da década de 1930, não mais. 

The Spirit, publicado pela primeira vez em 1940, revelou, na verdade, a genialidade de Eisner, em um intrigante personagem - um detetive mascarado - que acabou por conquistar prestígio em todo o mundo. Eisner faz parte do iluminado grupo de autores, cartunistas e ilustradores que surgiram nos USA nos anos 1930, curiosamente quando o país tentava sair da profunda depressão econômica ocorrida a partir de 1929. 

Esse valoroso grupo, já exaustivamente citado neste site em outros momentos (vide item anterior  - 56, sobre Milton Caniff), foi responsável pela criação da maioria dos grandes personagens dos quadrinhos, entre eles: O Fantasma, Mandrake, Príncipe Valente, Red Ryder, Superman, Dick Tracy, Batman, Jim das Selvas, Flash Gordon, Terry e Steve Canyon, além de Tarzan, desenvolvido por Hal Foster na década de 1930, cujo personagem havia sido criado por Edgar Rice Burroughs nos primeiros anos do século. 

Will Eisner, um homem à frente de seu tempo, tornou-se um grande empresário na área de Comics - inicialmente Eisner & Iger (Jerry Iger), mas com certeza, será sempre muito mais lembrado por sua imortal criação: The Spirit. 

Vejam alguns exemplos de sua obra:

 

                     The Spirit   -    Will Eisner                                       Abaixo, um cartoon  -  The Spirit                                                              

  

                Imagem gentilmente enviada por Luis Peix                                                   www.pinterest.com   
                                                                                 
         
         Um exemplar de Jumbo Comics - c/Sheena                                 Abaixo, Phantom Lady                
        provavelmente com arte de Maurice Whitman
   
                                            As duas imagens foram gentilmente cedidas por Luis Peix
 
 
                                                       
                                                                                     https://pt.wikipedia.org                                       
 
 
                                                  E aqui uma bela quadrinização para Sheena
    
                                                                                                                           www.pinterest.com   
 
 
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
 

58 - John Buscema e os maravilhosos desenhos das 34 páginas do gibi "HELEN OF TROY", da Dell - USA - Um dos mais belos momentos da história do gibi

 

No item 36 deste módulo "Curiosidades sobre Gibis", publiquei matéria sobre o gibi Cinemin da Ebal, e nela incluí a capa do nº 61, de outubro/1956, que publicou o filme "Helena de Tróia", já inserido também no módulo "Produtos - Acervo" desde 2015. 

Nesse filme realizado por Robert Wise,  Helena foi vivida pela lindíssima atriz italiana Rossana Podestá, enquanto o ator dos cinemas francês/italiano Jacques Sernas interpretou Páris. Registre-se que Brigitte Bardot também atua no filme em papel secundário (ainda estava surgindo naquela época).  

Quanto ao gibi Cinemin, contém desenhos em preto-e-branco, o que não impediu que fosse selecionado para figurar no módulo "Momentos Mágicos dos Gibis", deste site, com sua última página, dada a beleza ímpar de seus desenhos, de autoria do grande John Buscema

Agora, mais recentemente, navegando na internet, encontrei o gibi original - a cores - editado em março/1956 pela Dell americana, com todas as suas páginas publicadas. É impressionante a qualidade dos desenhos de Buscema

Os quadrinhos são verdadeiras cenas do filme, com grande riqueza de detalhes e um claro "senso de movimento" em cada um deles, detalhe só perceptível em desenhos de altíssima qualidade como esses. Outro aspecto que merece registro é a incrível capacidade de Buscema de diferenciar, com maestria, o semblante de cada personagem. 

Registre-se que, tanto o filme quanto os dois gibis estão completando 60 anos !!!

Assim, publico a seguir:

- a capa do referido gibi e - para melhor elucidar o todo aqui exposto - quatro de suas páginas com desenhos coloridos; e 

- republico a última página de Cinemin, em preto e branco, para comparação com a mesma página colorida da Dell.

Além disso, cito o site onde se encontram os arquivos, para que os internautas, se assim o desejarem, possam acessá-lo: https://pappysgoldenage.blogspot.com.br 

Finalizando, fica aqui um registro em relação a meu estimado amigo e incansável colaborador, Luis Peix - que dá nome a um dos módulos deste site - porque, da mesma forma que eu, é grande admirador de John Buscema e, em especial, deste gibi "Helen of Troy".

 
 
                Vejam a capa do gibi com a belíssima 
                            atriz Rossana Podestá                                                       Abaixo, a 1a. página
 
 
                                                                       Cada quadrinho uma pintura
 
                           Abaixo, a página nº 10                                                       Abaixo, a página nº 31
    
 
                          A última página - nº 34                                A mesma página 34 do gibi Cinemin (preto-e-branco)
     
 
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::